SOU FORTE, SOU GUERREIRO, SOU BRASILEIRO!

SOU FORTE, SOU GUERREIRO, SOU BRASILEIRO!
Enquanto Houver Razões Eu Não Vou Desistir

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Pesquisa no RN mostra favoritimo de Robinson sobre Henrique

Por esta quase ninguém esperava. A primeira pesquisa Ibope no segundo turno para o governo do Rio Grande do Norte indica favoritismo de Robinson Faria (PSD) sobre Henrique Alves (PMDB). Se a eleição fosse hoje, Robinson teria 54% dos votos válidos contra 46% de Henrique. Nos votos totais, Robinson tem 45% e Henrique, 38%.
Se este resultado for mantido até o dia 26 de outubro, data da eleição, Robinson Faria deverá ser o próximo governador do RN. O resultado surpreende porque Henrique Alves sempre foi apontado como favorito. Agora tudo indica que o todo-poderoso presidente da Câmara dos Deputados vai perder a eleição.
E o pior para Henrique é que sua rejeição não para de crescer - 47% dos eleitores não votam nele de jeito nenhum. A rejeição de Robinson é bem menor, de 35%. Com tamanha rejeição, há risco alto de Henrique perder a eleição.
Esta eleição tem uma história curiosa. Henrique tinha tudo para ter sido eleito no primeiro turno, se não tivesse puxado o tapete da deputada Fátima Bezerra (PT), que era a candidata na sua chapa para o Senado. Mas Henrique trocou Fátima pela ex-governadora Wilma de Faria (PSB), que era candidata ao governo.
Henrique fez isso para limpar o terreno de sua candidatura a governador. Sem Wilma concorrendo ao governo, ele teria tudo para se eleger ao governo - e ainda por cima elegeria Wilma para o Senado. Deu tudo errado na estratégia de Henrique. Sem o apoio do PMDB, Fátima se aliou a Robinson (foto), fortaleceu o candidato do PSD, e se elegeu senadora.
Passada a eleição de 5 de outubro, em que Fátima teve uma expressiva votação e derrotou Wilma por grande margem de votos, a petista continuou puxando o voto em benefício de Robinson. Deu no que deu. Robinson cresceu, superou Henrique, e agora é favoritíssimo para se governar o RN a partir do próximo ano.
Neste episódio, em que Henrique deu uma rasteira na deputada petista e na aliança do PT com o PMDB, trocando Fátima pelo apoio a Wilma, fica um ensinamento que costuma ocorrer em política. Neste caso, costuma-se dizer que, quando a esperteza é muito grande, acaba por engolir o esperto.
Foi o que aconteceu com Henrique. Se ele tivesse mantido a aliança com Fátima, que vinha sendo costurada há muito tempo com o próprio Henrique e com as liderança do PMDB potiguar, Henrique estaria hoje eleito governador.
Mas parece que a esperteza de Henrique não tem limites.
Agora ele ensaia apoio ao presidenciável Aécio Neves (PSDB), adversário de Dilma Rousseff (PT), que é apoiada pelo PMDB - o vice da petista, Michel Temer, é do mesmo partido de Henrique. Mas Henrique nunca morreu de amores por Dilma e, agora, embarcar na canoa de Aécio para tirar proveito, caso ele seja eleito.
Na sucessão presidencial, continua o equilíbrio entre Aécio e Dilma. Pesquisas Datafolha e Ibope divulgadas nesta quarta (15/10) indicam novo empate entre os dois, mas numericamente com o tucano à frente: Aécio 51%, Dilma 49% dos votos válidos (45% a 43% respectivamente nos votos totais).
Outra pesquisa divulgada durante esta semana, do instituto Vox Populi, também dá empate, só que com os números invertidos - 51% para Dilma e 49% para Aécio.
Mas há mais sinais negativos para Aécio do que para Dilma. Segundo o Datafolha, a rejeição do tucano subiu quatro pontos deste a última pesquisa, divulgada no dia 9/10, passando de 34% para 38%. A rejeição de Dilma caiu de 43% para 42%. Mais: continua subindo a aprovação ao governo Dilma, que chegou a 40%.
No primeiro turno, Aécio foi poupado pela candidata do PT, que direcionou seu foco para Marina Silva, que até então ameaçava mais a petista do que o tucano. Agora a história é outra. Aécio foi para o segundo turno e há uma enxurrada de críticas e acusações feitas a ele na campanha da petista e nas redes sociais.
Prova de que a estratégia adotada pelo PT de desconstruir o tucano está dando certo. Tem mais: o Datafolha constatou que o apoio de Marina Silva a Aécio está atrapalhando mais do que ajudando. Subiu de 13% para 23% o índice de eleitores que dizem não votar em Aécio depois que Marina declarou apoio a ele.
Abaixo, links com resultados das pesquisas no RN e para presidente, além de outros enfoques sobre o impressionante equilíbrio na disputa presidencial, inclusive o fato de apoio de Marina a Aécio está atrapalhando o tucano.

Fonte: Brasil Post

Cometa passa raspando por Marte


Ilustração divulgada pela Nasa mostra o cometa e o planeta Marte
Por Por Jenny VAUGHAN | AFP

Um cometa do tamanho de uma pequena montanha passou raspando por Marte neste domingo, um encontro que acontece uma vez a cada milhão de anos.

O cometa, conhecido como Siding Spring (C/2013 A1), chegou ao ponto mais próximo de marte às 18h27 GMT deste domingo, passando pelo Planeta Vermelho a uma velocidade de 203.000 km/h.
Ele ficou a uma distância de 139.500 km de Marte, menos da metade da distância entre a Terra e a Lua.

Segundo cientistas, a passagem do cometa ofereceu uma oportunidade única de estudo do seu impacto sobre a atmosfera marciana. "É uma ótima oportunidade de aprendizado", comemorou Nick Schneider, da missão da sonda Maven em Marte.

O cometa foi descoberto por Robert McNaught no observatório australiano Siding Spring, em janeiro de 2013. Acredita-se que ele tenha se originado bilhões de anos atrás, na Nuvem de Oort, uma região distante do espaço de onde partem cometas que "permanecem inalterados desde os primeiros dias do Sistema Solar", segundo a Nasa.

O cometa viajou mais de 1 milhão de anos para fazer esta primeira parada em Marte, e só irá retornar dentro de outro milhão de anos, assim que completar uma volta ao redor do Sol.

Antes de o cometa entrar na órbita do Planeta Vermelho, a Nasa reposicionou as naves Mars Reconnaissance Orbiter, Mars Odyssey e Maven, para evitar danos às mesmas causados pelos resíduos do Siding Spring.
Fonte: Notícias Yahoo

BLOG EDUAGRESTE CHEGA AOS 100 MIL ACESSOS! OBRIGADO/A LEITORES/AS VOCÊS SÃO A RAZÃO DO NOSSO SUCESSO!

O blog eduagreste.blogspot.com chega hoje aos 100 mil acessos!  Uma marca memorável! Mas graças a você leitor que nos concede esse feito!  A credibilidade é marca registrado do nosso blog.  Sempre levando as informações importante tanto na política, como do nosso cotidiano, passando pela educação e pela cultura.

Por isso agradecemos-lhes de todo o coração, vocês são a razão do nosso sucesso e existência!


Vamos continuar juntos levando sempre a notícia em PRIMEIRO LUGAR!  Obrigado!


Eduardo Vasconcelos - Radialista e Blogueiro

POLÍTICA - Mentiras do Aécio no debate da Record.

Foto divulgação
Mentiras de Aécio no debate da Record

Por Luiz Carlos Azenha, no blog Viomundo:

Durante o debate da TV Record, o candidato do PSDB, Aécio Neves, disse isso literalmente: “Sou absolutamente fiel aos trabalhadores”. Também disse que, quando governou Minas Gerais, ouviu os trabalhadores, ao contrário do que denunciam sindicalistas.

Aécio prometeu manter a política de aumento do salário mínimo de Dilma até 2019, além de discutir o fim do fator previdenciário, instituído durante o governo de Fernando Henrique Cardoso e que prejudica os aposentados.

Além de dar continuidade aos programas sociais, afirmou que pretende fortalecer a Petrobrás e os bancos públicos, ao contrário do que demonstra a História privatista dos tucanos e uma declaração de Armínio Fraga, que será ministro da Fazenda se Aécio for eleito.

O senador também repetiu que a Minas Gerais que ele governou tem a melhor educação fundamental do Brasil e a melhor saúde pública. Se assim fosse, Aécio Neves não teria perdido a eleição em primeiro turno em seu próprio estado, alguém poderia tê-lo lembrado.

Das duas, uma: ou Aécio Neves mente compulsivamente em sua campanha eleitoral, ou se afastou dos princípios que sempre guiaram seu partido no poder, inclusive em Minas Gerais. Pelas promessas que fez, isso ficou claro.

O debate na Record foi mais morno que os anteriores, mas repetiu um padrão.

Depois do debate da Band, o Viomundo titulou assim sua opinião: Em debate agressivo, Aécio foge de perguntas e se sai melhor.

Um dos comentaristas disse que o título continha uma contradição em si. Como Aécio poderia ter se saído melhor, se fugiu às perguntas?

Em nossa opinião, é o que tem acontecido: o senador tucano articula melhor a apresentação de suas ideias, sejam elas falsas ou não. Ele assume para si o controle da inflação sob o plano Real, aprovado durante o governo de Itamar Franco, mas se afasta de Fernando Henrique Cardoso quando se trata de privataria, desemprego e arrocho salarial, como ficou claro mais uma vez hoje.

Dilma, por outro lado, não tem o mesmo traquejo para defender seu governo ou o do antecessor. Precisa contar com a memória dos eleitores para fazer a comparação, algo que fica difícil para os jovens que não viveram sob os governos de FHC.

Mas, dos três debates que acompanhamos até agora, este foi aquele em que a presidente estava mais tranquila. Aécio continua contando com o desconhecimento dos brasileiros sobre os governos que ele fez em Minas Gerais. Só isso permite a ele dizer, com a maior cara de pau, que “é absolutamente fiel aos trabalhadores” ou que pretende criar “a nova escola brasileira”.

Ouçam o que tem a dizer a sindicalista Beatriz Cerqueira, liderança dos professores, sobre a herança maldita dos tucanos em Minas, que ela chama de os “fantasmas de hoje”.

Leiam, aqui e aqui, sobre o engodo que foi o chamado “choque de gestão” de Aécio Neves nas finanças, na análise do economista Fabrício de Oliveira.

Ouçam a denúncia dos jornalistas mineiros, que afirmam que a censura e a manipulação midiáticas impediram que os brasileiros soubessem a verdade sobre os governos de Aécio e aliados em Minas Gerais.

Hoje, no debate da Record, Aécio falou sobre o programa Poupança Jovem como projeto bem sucedido que levaria para o plano nacional.

Segundo Beatriz Cerqueira, a sindicalista de Minas, tal programa atende a apenas 9 dos 853 municípios mineiros.

Se os brasileiros comprarem este marketing domingo que vem, é pela competência retórica de um candidato que, no debate da Record, mais parecia um vendedor de enciclopédias.

Audiência

A média de audiência do debate na Record foi de 12 pontos, enquanto a Globo marcou 16 e o SBT, 9.

Fonte: Blog de Um Sem Mídia

Prefeito de Pau dos Ferros mobilizou população para receber Robinson Faria

Uma das principais cidades do Oeste, Pau dos Ferros recebeu neste domingo (19) a caravana do candidato a governador Robinson Faria (PSD). Uma multidão vestida de vermelho tomou conta da Avenida Independência seguindo a até o Largo do Queiroz onde foi feito comício. A mobilização foi coordenada pelo prefeito Fabrício Torquato (DEM) que declarou oficialmente o seu apoio a Robinson. No primeiro turno o prefeito apoiou o candidato adversário, mas explicou as razões de sua mudança dizendo que a população mostrou o que queria quando deu maioria de votos a Robinson Faria no primeiro turno.
“Pau dos Ferros quer um prefeito antenado com a população, que seja sensível aos pleitos que a população tem. E os pauferrenses já decidiram que Robinson será o governador”, afirmou. “Nós somos pessoas livres, quero que todo mundo converse com sua família, peça o voto em Robinson que mostrou que tem apoio do povo. Mostre aos seus vizinhos que o candidato que fez um acordo lá em Brasília não vai ganhar e este aqui, que escutou a voz das ruas será o nosso governador. Robinson, foi a sua confiava e determinação que o trouxe até aqui”, disse o prefeito Fabrício Torquato.
Fonte: Robson Pires

Fascismo explícito: eleitores de Aécio agridem petista cadeirante


- por Enio Barroso Filho, blogueiro cadeirante

Terça-feira saí de casa para participar do ‘Churrascão da Gente Desinformada’, na Praça Roosevelt, à noite. 


Vesti minha camisa vermelha, paramentei-a com adesivos pró Dilma acompanhados da minha velha estrelinha de metal do PT que ostento com orgulho e de cabeça erguida desde Fevereiro de 1980, data da fundação do PT.

Saltei na estação República do Metrô e, como não havia nenhum elevador funcionando, (muitas estações estão assim depois da eleição do 1º turno), funcionários me levaram pela escada rolante e saí pela Rua do Arouche.

Estava escuro e ermo como quase todo o centro de São Paulo nas noites de hoje. Nisso, um carro (acho que era Pajero) encostou na calçada e seus ocupantes começaram a me xingar pedindo que eu tirasse a camisa.

Respondi que não e lhes disse:

– É Dilma!!

Um deles disse:

–Te conheço da internet, petralha do caralho! Estamos de olho!

E outro anunciou:

– Não é porque você é um aleijado comunista que não mereça uma surra pra te endireitar

Mandei irem à merda e os três brutamontes carecas e bombados (menos o motorista) desceram e começaram a chacoalhar a minha cadeira tentando me derrubar. Gritavam muito e um deles me deu um tapa na cabeça.

Pareciam drogados, enfurecidos. Não tive medo, já que isso não é novidade para mim. Na ditadura militar enfrentava soldados armados por quem fui preso quatro vezes, mas NUNCA por civis.

Muitas pessoas viram, mas nada fizeram a não ser uma moça do outro lado da rua que gritou “Polícia!”.

Foi aí que eles me deixaram, entraram no carro e seguiram sem pressa.

Evidente que não pude anotar a placa devido as circunstâncias. Só notei adesivos no carro: “CHIC”,“AÉCIO 45″ e aquele conhecido “FORA DILMA e leve o PT junto”. Mas os rostos dos elementos enfurecidos, não esquecerei jamais.

Segui meu caminho na direção da Pça. Roosevelt e, encontrando uma dupla de PMs, contei o ocorrido. Um dos PMs disse que como não anotei a placa do veículo nada poderia fazer. E me ‘orientou’ a não andar por aí com ‘esse tipo de estrelinha e esse tipo de adesivo’, pois isso, nestas épocas, seria ‘muito perigoso’.

Fonte: Tudo em Cima

domingo, 19 de outubro de 2014

JORNALISTAS MINEIROS LANÇAM MANIFESTO PELA REELEIÇÃO DE DILMA E LIBERDADE DE IMPRENSA EM MINAS


São conhecidas por todos os mineiros e, principalmente, pelos profissionais da imprensa de Minas, as manobras de Aécio Neves para ser blindado de notícias em desagravo ao tempo em que foi governador do estado. O tucano já tentou censurar sites de busca, como Google, Yahoo! e Bing, para que não mostrassem notícias negativas sobre ele e, mais recentemente, solicitou que o Twitter divulgasse dados de 66perfis  que supostamente militam na rede contra ele.

Por isso, na noite no último dia 15 de outubro, cerca de 100 jornalistas se reuniram em Belo Horizonte para manifestar seu apoio à reeleição de Dilma e pela liberdade de imprensa. Na descrição do evento, chamado de “Jornalistas Com Dilma”, lê-se: “porque o primeiro compromisso de Minas é com a Liberdade”. Para ver as fotos, clique aqui.

Ao final do encontro, os jornalistas produziram um manifesto, reproduzido abaixo, falando da diferença das coberturas dos principais veículos da mídia sobre a eleição e campanhas dos dois candidatos, e alertam para o perigo da eleição de Aécio e de suas “medidas antidemocráticas”, para toda a sociedade e, em especial para os profissionais da imprensa.

A presidenta Dilma já havia alertado para a blindagem que Aécio construiu para si mesmo em Minas Gerais. Na quarta-feira (15), a presidenta declarou, em coletiva de imprensa em São Paulo, que “o candidato, de fato, não está acostumado a críticas, porque, como a imprensa divulga, tinha certa blindagem quando foi governador".

Aloisio Morais, ex-presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais, esteve presente no encontro em Belo Horizonte e comentou, em entrevista ao Muda Maiso episódio do desaparecimento dos documentos do Tribunal de Contas do Estado que mostram a má gestão de Aécio em Minas, citados pela presidenta Dilma no último debate. Aloísio disse que “esse é mais um episódio que mostra como aqui (em Minas Gerais) está tudo dominado pelos tucanos. O poder Legislativo, Judiciário e Executivo. Eles conseguiram influir em tudo. Mostra o descaramento de como há um complô em favor da eleição do Aécio”, declarou.

Alerta ao Povo Brasileiro

Nós, jornalistas mineiros reunidos na noite de 15 de outubro de 2014, em Belo Horizonte, vimos manifestar à sociedade brasileira as nossas apreensões quanto ao grave momento vivido pelo país às vésperas do segundo turno das eleições presidenciais:

1. Estarrecida, a opinião pública mineira e brasileira deparou-se nos últimos meses com uma escalada da cobertura jornalística das eleições pelos meios de comunicação em claro favorecimento de candidaturas à Presidência da República, seja por meio da manipulação de informações políticas e econômicas, seja pela concessão de espaços generosos a um candidato em detrimento dos outros. Tais fatos, públicos e notórios, são sobejamente atestados por instituições de pesquisa e monitoramento da mídia, revelando uma tentativa de corromper a opinião pública e de decidir o resultado das urnas.

2. Infelizmente, tais práticas antidemocráticas, que atentam contra os princípios constitucionais da liberdade de expressão e manifestação e do direito à informação, fizeram parte do cotidiano da comunicação em Minas Gerais, atingindo nível intolerável nos governos de Aécio Neves. A atividade jornalística e a atuação dos profissionais foram diretamente atingidas pelo conluio explícito estabelecido entre o governo e os veículos de comunicação, com pressão sobre os jornalistas e a queda brutal da qualidade das informações prestadas ao cidadão mineiro sobre as atividades do governo. Tais pressões provocaram censura e mesmo demissões de profissionais e uma permanente tensão nas redações. E quebraram as históricas vocações e compromissos de Minas com a liberdade de pensamento e de ideias, traços distintivos da formação e das tradições históricas do Estado.

3. Diante do exposto e por dever do ofício, nós, jornalistas mineiros, alertamos a sociedade brasileira sobre os riscos que tais práticas representam para a Democracia, para o Estado de Direito e para os direitos individuais e políticos dos cidadãos. Reafirmamos que a essência da atividade do jornalista é a liberdade de expressão e manifestação, assegurando o direito da sociedade à informação, livre e plena.

Belo Horizonte, 15 de outubro de 2014
Fonte: Contexto Livre - Clic no link e assista vídeos> http://www.contextolivre.com.br/2014/10/jornalistas-mineiros-lancam-manifesto.html

sábado, 18 de outubro de 2014

Indignado com a covardia de Aécio, Lula pergunta: “ele xingaria adversário se fosse homem”?

Lula esteve com o povo em Belo Horizonte fazendo campanha para Dilma neste sábado, ao lado de Fernando Pimentel.

Veja o que ele disse:

“Minha primeira palavra é de agradecimento a vocês por duas coisas: primeiro por terem votado no Pimentel e depois por terem votado na Dilma, fazendo dela a mais votada em Minas Gerais”.

Lula criticou a grosseria de Aécio nos debates, que chegou a xingar Dilma e Luciana Genro de levianas, só porque elas cobraram do tucano a construção do aeroporto de Cláudio na fazenda do tio e o de Montezuma onde Aécio também tem fazenda.

“Eu disputei muitas eleições nesse país, eu nunca vi um cidadão faltar com respeito como ele (Aécio) faltou com a Dilma. Nunca fiz isso com o sociólogo (FHC). Pegue uma palavra minha chamando alguém de mentiroso, de leviano. Eu queria ouvir ele (Aécio) falar assim se o outro candidato fosse um homem”, desafiou Lula.

E Lula tem razão. Quando William Bonner fez o mesmo questionamento no Jornal Nacional, Aécio pareceu uma moça na hora de responder, chegou a "agradecer a pergunta pela oportunidade de explicar".

Os ganhos sociais dos governos Lula e Dilma em Minas Gerais foram lembrados:

“Conheço uma pessoa que tinha vergonha de falar que era do ProUni. Ela se vingou sendo a melhor aluna da faculdade. Agora o mineiro que quer ir a Salvador não vai de ônibus, vai de avião. Vamos ser francos: quando é que uma moça negra, filha de pai motorista, poderia se tornar advogada? Hoje pode, porque nós demos as condições”.

Lula critica falta de respeito e elitismo dos tucanos

 “Minha primeira palavra é de agradecimento a vocês por duas coisas: primeiro por terem votado no Pimentel e depois por terem votado na Dilma, fazendo dela a mais votada em Minas Gerais”, disse o ex-presidente Lula aos eleitores presentes no ato em apoio à reeleição de Dilma Rousseff, na manhã deste sábado (17), na praça Duque de Caxias, no bairro de Santa Tereza, região Leste de Belo Horizonte (MG).

O encontro contou com a participação governador eleito no primeiro turno em Minas Gerais, Fernando Pimentel.

O discurso de Lula foi marcado por comparações com outros períodos da história política do país. Em uma delas, lembrou do bombardeio que sofreu da imprensa nas eleições presidenciais de 1989.
“Estamos vendo o mesmo comportamento da imprensa, junto com a esta nova elite que não admite nenhum governante que olhe para o pobre. Eles têm preconceito de um programa que dá R$ 200 para uma pessoa, mas não têm quando dá R$ 1 bilhão para o empresário”, afirmou.

O ex-presidente também criticou a postura agressiva do candidato de oposição, Aécio Neves (PSDB), que durante o debate chegou a xingar Dilma de leviana, depois que a presidenta citou denúncias comprovadas de que o candidato tucano empregou parentes no período em que foi governador de Minas Gerais.

“Eu disputei muitas eleições nesse país, eu nunca vi um cidadão faltar com respeito como ele (Aécio) faltou com a Dilma. Nunca fiz isso com o sociólogo (FHC). Pegue uma palavra minha chamando alguém de mentiroso, de leviano. Eu queria ouvir ele (Aécio) falar assim se o outro candidato fosse um homem”, desafiou Lula.

Os ganhos sociais dos governos Lula e Dilma em Minas Gerais foram lembrados pelo ex-presidente, que disse não entender o desconforto causado entre os mais ricos. “Conheço uma pessoa que tinha vergonha de falar que era do ProUni. Ela se vingou sendo a melhor aluna da faculdade. Agora o mineiro que quer ir a Salvador não vai de ônibus, vai de avião. Vamos ser francos: quando é que uma moça negra, filha de pai motorista, poderia se tornar advogada? Hoje pode, porque nós demos as condições”.

Falta de diálogo dos tucanos

Lula comentou ainda o distanciamento do candidato Aécio Neves dos pobres quando foi governador. “Quem lembra algum dia que o governador tenha feito uma reunião com catadores de material reciclável? Quantas colônias de hansenianos visitou? Quantas reuniões com Sem Teto? Quem tiver uma foto desse momento por favor me mos tre. Pois bem, essa é uma das diferenças que temos com ele”.

O impasse com os professores de Minas Gerais, que em três anos realizaram duas greves de mais de 100 dias, em 2011 e 2013, também foi apontado por Lula como falta de sensibilidade tucana com a Educação. “Eu não lembro, em nenhum momento da história, nem no regime militar, de um momento que os professores foram tão perseguidos como em Minas Gerais”.

Parcialidade da imprensa

Lula criticou as publicações estrangeiras que em época de eleição nos países da América Latina tomam partido dos candidatos que favorecem os bancos privados e o mercado financeiro.
“Quando a Europa inteira demitiu 100 milhões de pessoas, Dilma criou 5,5 milhões de novos empregos. Eles (mercado financeiro) queriam que a Dilma jogasse a crise no colo dos trabalhadores, mas Dilma não aceitou fazer isso”.

Lula complementou reafirmando a sabedoria do povo brasileiro diante da posição de uma revista estrangeira, que reflete uma visão macroeconômica deturpada. “Não vai ser uma revista estrangeira que dirá em quem temos que votar. O povo brasileiro sabe decidir e a elite deveria nos agradecer porque hoje o pobre ajuda a movimentar a economia”.

Desespero faz adversário do PMDB forjar notícia falsa e divulgar nas redes sociais

O crescimento de Robinson nas pesquisas de opinião virando o jogo eleitoral no Rio Grande do Norte, a campanha do candidato do PMDB iniciou uma campanha suja nas redes sociais. O candidato que se dizia amadurecido e livre do radicalismo, mudou radicalmente a sua postura principalmente depois da divulgação da pesquisa Ibope no último dia 15 de outubro que mostrou uma vantagem de 8 pontos para Robinson nos votos válidos.

A assessoria jurídica da campanha da coligação Liderados pelo Povo encaminhou à Polícia Federal e ao Ministério Publico a calúnia que começou a circular na internet com uma montagem grosseira, apesar de deletéria, para atingir a honra e a imagem de Robinson.

A montagem acusa o candidato de participação em um processo de modo a tentar reverter a expressiva ascensão eleitoral por ele alcançada e divulgada pelo Ibope esta semana. Ao contrário do que é colocado na arte, o candidato Robinson Faria é testemunha de acusação arrolado pelo Ministério Público autor da ação penal.

  FONTE: Lagoa Nova Verdade

Questões sobre um possível governo de Aécio. Veja o que você irá fazer com o seu voto. Depois não adianta chorar o leite derramado...

Veja o que você irá fazer com o seu voto. Depois não adianta chorar o leite derramado...

Por Douglas Yamagata 

Muita gente deixou se empolgar pela TV e pela grande mídia, onde a ideia de que o país está mal é propagandeada 24 horas por dia. Mesmo sendo mentira, grande parcela da população se deixa contaminar pelos noticiários.

Muita gente não leva em conta o quão difícil foi para o Brasil chegar a um patamar de 7ª maior economia do mundo e o quanto seria nefasto um retrocesso à moda anos 90 na era FHC.

É bom lembrar, que muito se rotula o Bolsa-Família e discussões de cota e gênero (casamento gay etc...), e se esquece (ou não sabe) que muitas vezes o seu padrão de vida mudou nes
tes últimos 12 anos, graças aos governos democráticos-populares de Lula e Dilma.

Tem gente inclusive, que goza dos benefícios do Fies, Ciências sem Fronteiras, Programas Mais Médicos, ou simplesmente cursa ou se formou em uma faculdade criada pelo governo Lula-Dilma, mas se ilude que o mesmo padrão se manterá no governo Aécio.

Desta forma, é importante muita cautela neste momento, por que o país não está ruim. A estrutura do país está sendo concretizada, tais como ferrovias, aeroportos, hidrelétricas, entre outros... E temos a possibilidade dar um salto enorme à frente.

No entanto, com Aécio, temos muito a perder e retrocedermos muito além da década de 90. Vejamos por quê:

1) O PSDB É LIBERAL: O PSDB não é social-democrata como os tucanos pregam. Na realidade eles são liberais, cuja ideia principal é a do estado mínimo, onde o governo deve interferir o mínimo possível na sociedade e, principalmente, no mercado. Desta forma, os liberais se desfazem de tudo aquilo que é público ou estatal.

- O PSDB nunca serviu aos interesses do povo, mas sim aos interesses dos empresários e do mercado.

2) ENTREGA DO PATRIMÔNIO PÚBLICO - No governo tucano de Fernando Henrique Cardoso (FHC), várias estatais foram vendidas à iniciativa privada (privatização), tais como a Cia. Vale do Rio Doce (que detém uma das maiores jazidas de minério do mundo); várias companhias de telecomunicação, como a Telesp, Telerj etc...; diversos bancos estaduais, como o Banerj e o Banespa (que foi vendido por 7 bilhões, quando só o seu patrimônio valia mais de R$30 bilhões), entre outras empresas importantes de abastecimento de água e energia. Houve a tentativa de privatizar a Petrobrás, inclusive FHC já tinha dado o novo nome e se chamaria Petrobráx. Todas as vendas das estatais foram feitas por um preço muito mais baixo do que elas realmente valiam. 

- Ressalto que uma eventual volta do PSDB à presidência, certamente irá retornar o discurso de privatizações daquilo que não conseguiram privatizar: Banco do Brasil, Caixa, Petrobrás etc..., sob o argumento de que empresa pública é um gasto desnecessário ao país. A lógica é assim: eles deixam as empresas públicas virarem "sucatas" e dar prejuízo e depois vendem barato. Convenhamos que setores estratégicos ao país como água, luz, telecomunicações, bancos não deveriam jamais ser vendidas, mas os tucanos venderam a preço de banana. Certamente, eles irão querer vender o que resta de empresas públicas.

3) ESTADO MÍNIMO - Ainda na lógica do Estado Mínimo, o PSDB de Fernando Henrique sucateou a saúde, a educação e a habitação, investindo o mínimo nestes setores para forçar as famílias que tinham condições a procurarem serviços particulares tais como os convênios médicos, escolas particulares. Ou seja, oferecer uma péssima educação pública e uma péssima saúde pública para que os empresários (amigos deles) passassem a ganhar dinheiro com a saúde e educação.

- Em uma eventual volta do PSDB, diversos programas poderão ser exterminados, tais como os programas "Mais Médicos" e investimentos à educação predestinados dos recursos do Pré-Sal . Além disso, existe a possibilidade de extermínio de programas habitacionais como o "Minha Casa, Minha Vida". Vale lembrar o recente sucateamento da USP (Universidade de São Paulo que é pública) promovido pelo governo tucano de Geraldo Alckimin, onde se aventa inclusive o pagamento de mensalidade pelos alunos.

4) ARROCHO SALARIAL - Com relação aos salários, pode-se dizer que os trabalhadores praticamente não tinham nem a reposição da inflação em seus salários. Muitas empresas, ao invés de reajustar os salários davam "abonos", que era uma espécie de esmola aos trabalhadores.

- Em 2013, o presidente do Itaú, Roberto Setúbal, afirmou que a solução para conter a inflação era conter o reajuste de salários e demitir funcionários. Com o apoio de Marina Silva à Aécio Neves, há possibilidade real de que um eventual governo Aécio será de arrocho salarial, pois a principal apoiadora de Marina foi Neca Setúbal, que é uma das maiores acionistas e herdeira do Banco Itaú. 

5) DESEMPREGO - O desemprego era algo assustador. Basta verificar que em 1999, a taxa de desemprego em São Paulo foi em torno de 19%. Nos anos FHC fomos o 2º país em número de desempregados no mundo. O desemprego era também uma ferramenta para arrochar salários, pois quem estava empregado tinha medo de perder o emprego, inibindo greves e mobilizações por melhores salários e condições de trabalho.

- É importante salientar que a taxa de desemprego no Brasil nos últimos anos tem girado em torno de 4,5% a 5%. Alguns setores têm carência de mão de obra, como é o caso da construção civil. Ter a maioria das pessoas empregadas não é interessante aos empresários, pois com todo mundo empregado, os empresários têm que pagar mais salários. Ou seja, existem poucos desempregados no mercado, fazendo com que os empresários tenham que se submeter ao salário exigido pelos trabalhadores.

6) SALÁRIO MÍNIMO - O salário mínimo na época de FHC também foi achatado. Basta ver que em 2002, último ano de FHC, o salário mínimo valia US$86,21 (medição em dólares). Hoje, em pleno governo Dilma, o salário mínimo já vale em torno de US$300,00. Apenas no governo Lula, o salário mínimo foi valorizado em 155% (em 2002 valia R$200,00 e em 2010 valia R$510,00).

- O salário mínimo é importante não só ao trabalhador mais pobre, mas também ao aposentado. Na década de 90, FHC chamou os aposentados de "vagabundos" quando pressionado por aumentos nas aposentadorias. Além disso, FHC criou o Fator Previdenciário, que é uma espécie de "pedágio", onde o trabalhador deve trabalhar um tempo a mais para se aposentar. A ideia de Marina Silva e que deve ser abraçado por Aécio é a da desindexar o salário mínimo da percentual da inflação. Ou seja, não pagar nem sequer a reposição da inflação, como aconteceu nos tempos de FHC. Além disso, não se vislumbra em um governo Aécio, a possibilidade do fim do fator previdenciário. 

7) FLEXIBILIZAÇÃO DAS LEIS TRABALHISTAS - O governo tucano de FHC inaugurou a política de aniquilamento das leis e direitos trabalhistas. O governo dele foi responsável pelas terceirizações e flexibilizações nas leis trabalhistas (criação de banco de horas, contrato parcial de trabalho, suspensão de contrato de trabalho, formas de remuneração variável, entre outras).

- Os empresários e o PSDB, argumentam que o custo do trabalho é elevado, sendo necessário flexibilizar a CLT e as leis e direitos trabalhistas para aumentar a competitividade. No entanto, o custo do trabalho no Brasil está entre os menores do mundo. As flexibilizações das leis trabalhistas significa dar aos patrões mais lucros e pagar menos salários e direitos aos trabalhadores. Há inclusive, diversos projetos de leis com o objetivo de terceirizar qualquer posto de trabalho, tanto público como privado. A mais famosa é o PL 4330 que atualmente foi engavetado por pressão dos trabalhadores. Marina Silva que apóia Aécio Neves é uma das defensoras de que as leis trabalhistas devem ser mexidas. Há também, projetos apoiados pelos tucanos, tais como o fim da multa de 40% sobre o fundo de garantia no momento da demissão. Sem contar com a intenção de muitos empresários de acabar com as férias e 13º salários, por exemplo.

8) INDEPENDÊNCIA DO BANCO CENTRAL - Tanto Marina Silva e Aécio Neves defendem a independência do Banco Central. Isso significa dar à iniciativa privada a prerrogativa de administrar a política econômica do país, inclusive com poderes de administrar a inflação e a taxa de juros. Ou seja, é tirar a prerrogativa do presidente em intervir na política econômica. Todos nós sabemos que Marina Silva têm a seu lado uma representante do Banco Itaú que é a Sra. Neca Setúbal; e que Aécio Neves também têm a seu lado Armínio Fraga, que foi ex-presidente do Banco Central. Ambos defendem que o Banco Central deve ser independente, ou seja, entregar a política econômica nas mãos dos banqueiros.

- A independência do Banco Central deixará livre para que os bancos privados cobrem o quanto quiser de juros (taxa selic). Basta lembrar, que os bancos privados (Itaú, Bradesco, entre outros) são os maiores detentores de títulos públicos. Os bancos ficarão livres para cobrarem os quanto quiser nas taxas de juros para ganhar mais dinheiro. Quando o governo Dilma baixou a taxa de juros para 7,5% os bancos foram os que mais reclamaram, pois estavam ganhando menos dinheiro. É bom observar, que no governo Fernando Henrique a taxa de juros chegou a 45% e hoje é em torno de 11% a 12%. Dar independência ao Banco Central é deixar os "lobos cuidarem das ovelhas".

9) REALINHAMENTO COM OS ESTADOS UNIDOS: O governo FHC tinha uma política econômica alinhada com o governo dos Estados Unidos. Na época, FHC apoiou a proposta da Alca (Área de Livre Comércio das Américas), cuja intenção dos Estados Unidos era permitir que os produtos de qualquer país das Américas pudessem ser vendidos a baixo custo em qualquer dos países signatários da Alca. O pretexto era de que isso geraria competitividade entre as empresas e países. No entanto, a proposta foi engavetada muito por conta dos movimentos sindicais e sociais, que viram na proposta da Alca uma oportunidade de domínio total dos Estados Unidos sobre os países da América.

Tanto as proposta de Marina, quanto de Aécio, defendem um realinhamento econômico e comercial com o Estados Unidos como os países centrais. Se fosse aprovada a Alca na época de FHC, o Brasil e países da América Latina, seriam invadidos por empresas e produtos estrangeiros o que levaria a falência de diversas empresas locais e milhões de desempregos. No entanto, mesmo não se consolidando a Alca, FHC facilitou a entrada de produtos estrangeiros, levando a falência de milhares de empresas brasileiras. Desta forma, o que se vislumbra com um governo tucano é a volta dessas propostas, o que significa uma verdadeira entrega da soberania econômica e comercial do país nas mãos do governo estadunidense, transformando o Brasil e a América Latina numa espécie de "quintal" dos Estados Unidos.

10) CONCLUSÃO - Legitimar um possível governo Aécio significa retroceder 12 anos em apenas 4 anos. Na visão liberal do PSDB, não se valoriza as questões sociais, apenas a questão econômica voltada para o grande capital (grandes bancos, investidores e empresários). Significa seguir modelos ortodoxos, cortando gastos sociais e o mínimo investimento do Estado no país. Significa aniquilar de vez a soberania do país, deixando que a economia siga conforme o gosto dos donos do grande capital. A inflação, a taxa de juros e o desemprego serão as grandes ferramentas de controle para manipulação da sociedade. Observa-se atualmente que a Europa tem seguido estes modelos ortodoxos, com forte desemprego, retirada de direitos trabalhistas e direitos sociais da população. Este é o caminho a ser trilhado por um eventual governo Aécio, pois pouco importará se as pessoas estarão empregadas ou se as pessoas terão os seus direitos assegurados. O que importará é o enriquecimento das grandes empresas (talvez somente as estrangeiras), dos bancos e dos grandes especuladores financeiros. Neste momento de crise mundial, o Brasil tem conseguido se superar, onde o governo Dilma têm formulado "receitas caseiras" para que a sociedade não seja atingida pela crise. Mas com a política que surgirá com Aécio, tudo isso se desmantelará e seguirá a mesma receita dos países europeus. Portanto, se você acha que está ruim, tudo poderá ficar muito pior.

Veja o que você irá fazer com o seu voto. Depois não adianta chorar o leite derramado...

Postado por: Douglas Yamagata: http://douglasyamagata.blogspot.com.br/2014/10/questoes-sobre-um-possivel-governo-de.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+BlogDoDouglasYamagata+(Blog+do+Douglas+Yamagata)