SOU FORTE, SOU GUERREIRO, SOU BRASILEIRO!

SOU FORTE, SOU GUERREIRO, SOU BRASILEIRO!
Enquanto Houver Razões Eu Não Vou Desistir

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

SURFISTA BRASILEIRO, GABRIEL MEDINA: "Muito feliz com minha vitória em Teahupoo"

Muito feliz com minha vitória em Teahupoo. Obrigado ASP por ter feito esse evento acontecer…

Altas ondas, lugar lindo e que vai ficar sempre na minha memória! Parabéns Kelly Slater, foi irado ter feito a final com você! Obrigado a todos brasileiros pelas mensagens de apoio, agradeço de coração um por um… Me deram muita força! To levando p noixxxxxx! Obrigado Deus, tenho certeza que foi coisa ai de cima, sempre presente e nao deixando a gente na mão #aquiéBrasil!

Fonte: Gabriel Medina Oficial

Dilma Rousseff lidera corrida pela presidência com 40,94%

bg presidente
Adicionar legenda
A candidata Dilma Rousseff está na liderança para a presidência da República com 40,94% de acordo com os dados da Pesquisa Consult. Em segundo lugar vem Marina Silva com 25,35% das intenções de votos. O instituto Consult foi as ruas entre 23 a 25 de agosto, entrevistou 1700 eleitores em todo o RN. A pesquisa foi registrada com o número BR 00439/2014, tem margem de erro de 2,2%, com confiabilidade de 95%.
Gilv@n Vi@n@

28 DE AGOSTO DE 1994 NASCIA NA ESCOLA MUNICIPAL FRANCISCO PEREIRA MATTOS - NOVA CRUZ-RN A AMES! 20 ANOS!

A exatamente 20 (vinte) anos atráz nascia a maior entidade estudantil de NOVA CRUZ - RN, a AMES!  Entidade que representa todos os estudantes das escolas particulares, municipais, estaduais e cursos.
Uma história de lutas, glórias, realizações, conquistas e uma vontade danada de transformar a sociedade através de uma educação de qualidade, profissionalizante, laica e democrática e prá Força de Vontade é o que não falta!
Já passaram vários presidentes, como Antonio Virgílio dos Santos; Edson Neves de Lima; Maria do Socorro Mendonça; Eduardo Moreira da Silva; Aldo Roberto dos Santos; Wilton Teixeira da Silva; Fernando Luiz de Souza (Falecido) e hoje o jovem LUCAS D'IVINO.
Seu fundador, Eduardo Vasconcelos até hoje assessora a entidade com determinação, zelo, carinho e muita experiência na pagagem, ex diretor da UMES de Natal, ex diretor da APES, Fundador e primeiro presidente do Grêmio Estudantil Café Filho da E. E. Wiston Churchill - Natal, hoje radialista e presidente do CPC DA ANE/RN e CPC/RN (Centro Potiguar de Cultura).
Várias conquistas, hoje realidade, como exemplo: Lei Municipal 713/95, que garante aos estudantes a meia entrada nos setores culturais da cidade; Festivais de Canções Estudantis; Vários Encontros de Lideranças Estudantis; Fundações de Grêmios Estudantis; Seminaŕios de Educação, Participações  nos Congressos da UBES (União Brasileira dos Estudantes Secundaristas); Eleições Diretas para Diretores; Conquistas, juntamente com outras entidades em Defesa dos 10% do PIB (Produto Interno Bruto) para a Educação; 75% do Petroléo Brasileiro para Investimemto em Educação; Plano Nacional de Educação - PNE; Meia Passagem Intermunicipal e tantas e tantas conquistas.  Virá mais e mais conquista a favor da estudantada.
As festividades acontecerá dia 31 na AABB de Nova Cruz-RN, das 16 ás 20 horas com exposição de fotografia que conta toda a tragetória da entidade e depois muito DJ para a galera convida!
Seja +, Mas Seja AMES!

17º CLAE termina mostrando a unidade e força da América Latina



Programação do último dia do evento trouxe um Encontro Latino Americano de Mulheres Estudantes

A agenda foi cheia no último dia do 17º Congresso Latino Americano e Caribenho de Estudantes, que terminou na última quinta-feira (21/08) em Manágua, na Nicarágua. A delegação brasileira participou do Encontro Latino Americano de Mulheres Estudantes e durante as discussões pode trocar informações e perceber que os desafios das mulheres latinas para conquistar direitos e reconhecimento tem muito em comum.

A presidenta da União Nacional dos Estudantes (UNE), Virgínia Barros, integrou a mesa sobre participação política das mulheres. Ela apresentou um panorama de como as mulheres estão representadas no Brasil e sobre medidas de políticas públicas como o Bolsa Família, que tem empoderado as mulheres no país. “A cultura machista não muda apenas com políticas públicas, mas sim com educação. Por isso a universidade tem um papel fundamental”, ressaltou.

Para Vic apenas um sistema político que mexa na composição do parlamento pode dar condições iguais para homens e mulheres disputarem cargos de poder. “Não nos falta competência, mas sim oportunidades”, afirmou.

A presidenta da UBES, Bárbara Melo, falou sobre a participação das mulheres no movimento estudantil. Ela afirmou que no Brasil o movimento estudantil tem avançado com três mulheres liderando as entidades estudantis, ANPG, UBES e UNE, mas que ainda existe machismo. Bárbara defendeu espaços mistos e auto-organizados para discussão do tema e comparou o feminismo ao socialismo no modo de enxergar as pessoas não como objetos.

A diretora de Cultura da UNE, Patrícia Matos, falou sobre as mulheres e a cultura dos meios de comunicação. “O machismo vai encontrar legitimação na cultura. E por isso temos que evitar comportamentos, gestos e falas muitas vezes reproduzidos nos meios de comunicação que materializam o machismo”, destacou. Ela defendeu também redes colaborativas e alternativas de comunicação que consideram a luta do feminismo como uma luta de emancipação da humanidade.

Já a presidenta da Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG), Tamara Naiz, falou sobre o histórico da mulher no processo de transformação social na América Latina.

Encerramento

Na parte da tarde uma Tribuna Imperialista reafirmou a preocupação das nações latino americanas com algumas questões como a palestina livre, paz na Colômbia, luta contra a criminalização dos movimentos sociais, independência de Porto Rico, contra uma educação colonizadora na Costa Rica, entre outras.

O presidente da Organização Continental Latino-Americana e Caribenha de Estudantes (OCLAE), Ricardo Guardia Lugo, lembrou do homenageado do Congresso, Hugo Chaves, como amigo dos estudantes e dos movimentos sociais, além de um dos principais impulsionadores da união da América Latina.

Logo depois os participantes do 17º Clae foram recebidos pelo presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, em um grande ato na Praça da Revolução, no centro histórico de Manágua. O presidente saudou todos os estudantes e seu compromisso com uma América Latina solidária e próspera.

Para o representante da UNE na Oclae, Mateus Fiorentini, que encerrou seu mandado neste congresso o 17º Clae foi a conclusão de um processo vitorioso. Ele destacou os avanços do ultimo período na luta por uma educação a serviço da integração com a criação do ELACES (Espaço Latino americano e Caribenho de Estudantes).

“Travamos a luta contra a mercantilização da educação inspirados nas mobilizações dos estudantes chilenos de 2011. Travamos a luta por uma América Latina em paz e com justiça social, contra a presença militar dos EUA no continente em especial das lutas na Colômbia. Enfrentamos as tentativas de desestabilização política e econômica promovida pelo imperialismo em especial na Venezuela. Tivemos conquistas importantes como o investimento de 10% do PIB em educação no Brasil. Fazer o CLAE na Nicarágua é um sinal que o movimento estudantil de todo o continente está comprometido com transformações mais profundas nas nossas sociedades”, destacou.

Cristiane Tada, da UNE

UERN USARÁ O ENEM COMO FORMA DE INGRESSO EM 2015

A UERN vai inserir em 2015, o ENEM como forma de ingresso em 2015. O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE), da universidade, aprovou que o ingresso este ano será através de 40% pelo Processo Seletivo Vocacionado Integrado (PSVI) e 60% pelo Exame Nacional de Ensino Médio (ENEM).Em 2016, a única forma de ingresso será o ENEM, foi assegurado as cotas sociais para os alunos de escola pública e para os deficientes físicos. O edital para o Processo Seletivo Vocacionado será definido na próxima reunião do Conselho.

Fonte: Thalita Moema

Conjuve realiza posse dos novos conselheiros

Reunião Ordinária elege nova presidência e debates eixos centrais para o próximo período

Nos dias 26, 27 e 28, acontece em Brasília (DF), a 37ª Reunião Ordinária do Conselho Nacional de Juventude (Conjuve) reunindo todos os conselheiros da sociedade civil para posse de seus representantes para o novo período. Entre as atividades estará a eleição das comissões: Articulação e Diálogo (CAD), Acompanhamento de Políticas e Programas (CAPP), Comunicação e Parlamento. Na quarta-feira (26/08), Ângela Guimarães foi eleita e empossada a nova presidenta do Conjuve para os próximos 12 meses ao lado de Daniel Souza que ocupará a vice-presidência.

“Este espaço plural está diante de vários desafios e tenho certeza que os movimentos, entidades, coletivos e organizações estão à altura deles. Consolidar e fazer avançar as políticas que façam a diferença na vida da juventude brasileira, implementar o Estatuto da Juventude, ampliar a voz e a participação dos jovens nos espaços de decisões, enfrentar o genocídio da juventude negra e fazer a disputa de valores com parcela da sociedade que ainda tem um olhar criminalizador e estigmatizador”, apresenta Ângela.

A UBES, que compõe o colegiado, na solenidade oficial de posse representa o movimento secundarista. Ao todo, 62 entidades irão compor as 40 cadeiras de titulares e outras 40 de suplentes, entre elas, membros do movimento estudantil; trabalhadores rurais e urbanos; jovens negros, indígenas e quilombolas; mulheres, jovens empreendedores; hip hop e funk a integrantes de organizações religiosas, entre outros.

A presidenta da UBES, Bárbara Melo, relembra que esta é a primeira gestão após a aprovação do Estatuto da Juventude. “Esperamos que esta seja mais uma gestão vitoriosa, temos metas importantes como garantir que o Pacto pela Juventude aconteça. Será um novo ciclo de muita pressão para que o governo brasileiro se comprometa com as políticas públicas de juventude”, define.

Outros metas foram apresentadas pelo secretário nacional de juventude em exercício, Rodrigo Amaral, “Agora o desfio é a implementação das onze diretrizes expressas em Lei, com maior participação e controle social, destacando, ainda, que em 2015 será realizada a 3ª Conferência Nacional de Juventude”, disse.

O CONJUVE é um espaço de diálogo entre a sociedade civil, o governo e a juventude brasileira. É um órgão consultivo e tem por objetivo assessorar o Governo Federal na formulação de diretrizes da ação governamental, promover estudos e pesquisas acerca da realidade socioeconômica juvenil e assegurar que a Política Nacional de Juventude do Governo Federal seja conduzida por meio do reconhecimento dos direitos e das capacidades dos jovens e da ampliação da participação cidadã.
10574401_737941756279265_4777550144448000596_n

Programação

 26 de Agosto – Terça-feira
Abertura

Apresentação das entidades eleitas
Eleição das coordenações
Eleição da Presidência e Vice-Presidência do Conselho
Lançamento do Pacto pela Juventude

27 de Agosto – Quarta-feira

Seminário “Autonomia, Cidadania e Direitos Humanos para a Juventude: a reinvenção necessária das políticas sobre drogas”.
Eixos
- Violência e Segurança Pública
- Saúde e Redução de Riscos e Danos
- Juventude

 28 de Agosto – Quinta-feira

Eixos
- Boas práticas nacionais e internacionais
- Grupos de Trabalho
Ocupar, resistir e produzir uma nova política sobre drogas – perspectivas e pactuações
Encerramento.

Da Redação - UBES

terça-feira, 26 de agosto de 2014

O VOTO DEVERIA SER FACULTATIVO NO BRASIL?

Analistas avaliam que corrupção eleitoral e despreparo da população ainda são obstáculos no País, um dos 31 do mundo que sustentam a imposição por Deutsche Welle - CartaCapital: Nas eleições do próximo dia 5 de outubro, 142,8 milhões de brasileiros deverão comparecer às urnas, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Pesquisas de opinião, no entanto, mostram um elevado índice de rejeição ao voto obrigatório. Um levantamento do Instituto Datafolha divulgado em maio deste ano aponta que 61% dos eleitores são contra a imposição.

Para analistas, permitir que o eleitor decida se quer ou não votar é um risco para o sistema eleitoral brasileiro. A obrigatoriedade, argumentam, ainda é necessária devido ao cenário crítico de compra e venda de votos e à formação política deficiente de boa parte da população.

"Nossa democracia é extremamente jovem e foi pouco testada. O voto facultativo seria o ideal, porque o eleitor poderia expressar sua real vontade, mas ainda não é hora de ele ser implantado", diz Danilo Barboza, membro do Movimento Voto Consciente.

O voto compulsório é previsto na Constituição Federal – a participação é facultativa para analfabetos, idosos com mais de 70 anos de idade e jovens com 16 e 17 anos.
O sociólogo Eurico Cursino, da UnB, avalia que o dever de participar das eleições é uma prática pedagógica. Ele argumenta que essa é uma forma de canalizar conflitos graves ligados às desigualdades sociais no país.

"A democracia só se aprende na prática. Tornar o voto facultativo é como permitir à criança decidir se quer ir ou não à escola", afirma. "Não é estranho que sejam tomadas decisões erradas e que o voto seja ruim. Mas se as pessoas não sabem votar, elas têm de aprender."

Já para os defensores do voto não obrigatório, participar das eleições é um direito e não um dever. O voto facultativo, dizem, melhora a qualidade do pleito, que passa a contar majoritariamente com eleitores conscientes. E incentiva os partidos a promover programas eleitorais educativos sobre a importância do voto.
O sistema voluntário é adotado em quase todo mundo. O voto é compulsório em apenas 31 países, incluindo o Brasil. O levantamento é do Instituto Internacional para Democracia e Assistência Eleitoral (Idea), que tem sede na Suécia.

De acordo com o órgão, a quantidade de votos brancos e nulos em países que obrigam o eleitor a ir às urnas é muito maior. Em Quênia, Dinamarca e Tunísia, onde o voto é facultativo, os índices de abstenção são inferiores a 1%, enquanto que no Peru e no Equador, onde os cidadãos são obrigados a votar, a taxa de abstenção é de cerca de 20%. No Brasil, o índice foi de 8% nas últimas eleições.
"Isso indica que as pessoas só vão às urnas porque são obrigadas. Muitas não gostariam de expressar um voto. O cenário com altos índices de abstenção é comum aos sistemas eleitorais que adotam o voto compulsório", diz à DW Abdurashid Solijonov, do setor de processos eleitorais do Idea.

Na América do Sul, apenas Colômbia, Paraguai, Suriname e Guiana adotam o voto facultativo. Ao contrário dos países da América Central, a tradição sul-americana é a do voto obrigatório. Um estudo da Consultoria Legislativa do Senado Federal mostra que países que obrigam o eleitor a votar, sob pena de sanções, têm um histórico de intervenções militares e golpes de Estado, com exceção da Costa Rica.

"Há outras medidas mais eficazes para incentivar a participação dos cidadãos, como aumentar a satisfação dos eleitores com os governos, adotar um sistema eleitoral proporcional e promover debates públicos", argumenta o especialista.

Apesar de estar entre uma minoria no cenário mundial, o Brasil deve manter a política de obrigatoriedade do voto, segundo o presidente da Comissão Eleitoral da OAB do Rio Grande do Sul, Augusto Mayer. Para o advogado, os elevados índices de corrupção e cassação de mandatos evidenciam que o país ainda não está preparado para adotar o voto facultativo.

"Isso exige em contrapartida uma extraordinária valorização do aspecto cidadão. Os eleitores brasileiros não têm um conhecimento mais profundo sobre os partidos políticos. A cidadania é relacionada apenas com o direito ao voto", avalia.
Para Mayer, os países que adotam o sistema voluntário de participação eleitoral cultivam uma pedagogia intensa em torno da valorização do voto, o que não acontece no Brasil. A votação facultativa em países democráticos se deve ao alto grau de politização da sociedade e a uma presença mais forte da cultura de cidadania. Ele considera Alemanha, Canadá, Espanha, Israel, Itália, Portugal, Japão e Polônia como bons exemplos.
"Esses países usufruem da cláusula de barreira, norma que restringe o ingresso parlamentar de partidos que não alcançam um percentual mínimo de votos", explica.

Na Alemanha, o alistamento eleitoral é obrigatório, mas o voto é facultativo. Nas últimas eleições, em setembro de 2013, cerca de 61,8 milhões de alemães estavam aptos a votar, e o comparecimento às urnas foi maior do que 70%.
Emendas constitucionais que tratam do tema no Congresso Nacional são inspiradas no modelo alemão. Uma das principais propostas sobre a reforma política, a PEC 352/2013, do deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), prevê o fim do voto obrigatório. O texto está parado na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados.

Para o professor Aldo Fornazieri, da Escola de Sociologia e Política de São Paulo, a ingerência regulatória do Congresso e do Tribunal Superior Eleitoral nas eleições se converte em medidas que tentam afastar cada vez mais o eleitor da participação política.

"Ele é transformado em um cidadão de sofá, um cidadão passivo. Votar se torna um ato meramente formal", diz.

Embora faça críticas ao voto obrigatório, o especialista pondera que, com o voto facultativo, o índice de participação nas urnas seria muito baixo. "As instituições carecem de legitimidade, porque, depois de eleitos, os políticos se isolam da sociedade. Eu gostaria que houvesse essa correspondência entre deveres e direitos, mas hoje ela é falsa", afirma Fornazieri.

Fonte: Blog da Dilma

UJS: PARA RENOVAR A ESPERANÇA , DILMA DE NOVO!


Êta juventude mobilizada que apoia a reeleição da presidenta Dilma Rousseff! Quem diz que jovem não sabe o que quer ou não tem interesse pela política, não conhece a atuação da União da Juventude Socialista (UJS)(link is external), organização que luta pelo direito das juventudes à liberdade, ao trabalho, à educação, à saúde, a esporte, lazer e cultura no Brasil.
Prestes a completar 30 anos de luta em defesa da juventude, no próximo dia 22 de setembro, a UJS já participou de grandes embates políticos do país e vai, mais uma vez, às ruas para apoiar a reeleição da nossa presidenta e seguir com as mudanças que transformaram o Brasil. Como parte da organização e ousadia dos jovens nessas eleições, a UJS disponibilizou o material de campanha de apoio à presidenta, mostrando que ajuventude está com Dilma para mudar mais. Se liga na beleza dos adesivos, faça o download dos materiais da UJS(link is external) e junte-se a nós na luta pelo Brasil dos nossos sonhos!

A campanha #RenovarAEsperança para as eleições 2014 já conquistou o Muda Mais. Inclusive, já testamos o stencil por aqui e ficou um arraso só! Vamos mobilizar redes e espalhar a esperança pelas ruas? :)

O ilustrador responsável pela imagem símbolo da campanha da UJS é Saturnino Rodrigues(link is external), mais conhecido como Sattu. Ele conversou rapidamente com o Muda Mais e falou o que o inspirou ao criar essa identidade para a ilustração. “Eu fiz uma imagem para a capa da revista Época que era o retrato da candidata, num estilo “poster de propaganda”, tipo propaganda russa, saca? Aí, essa imagem começou a ser adotada por algumas pessoas, depois vi que todo mundo estava usando, inclusive nos palanques de comícios”, diz. Sattu já teve trabalhos publicados no 53º Anuário de Ilustração da Society of Illlustrators, associação com mais de 100 anos de tradição. Ele também já expôs trabalhos no Museum of American Illustration, em Nova York.

A verdade é que nunca antes nesse país as propostas da juventude foram tão realizadas pelo governo como nos últimos 12 anos. Dilma sempre esteve atenta às demandas e urgências da juventude e, por isso, ela está ao seu lado: os jovens sabem que só quem mudou muito pode mudar ainda mais. Foram muitas as políticas públicas voltadas a esse público transformadas em realidade: Estatuto da Juventude, PRONATEC, ProUni,Ciência Sem Fronteiras, 10% do PIB para a educação, além da luta dos negros, das mulheres, do movimento LGBT, dos jovens comunicadores, dos artistas, dos ativistas da cultura, dos estudantes, dos jovens ambientalistas e de muitos outras lutas que têm a participação da juventude.
Fonte: Blog da Dilma

Ex-prefeito de Cruzeta pulou da barca de Henrique Alves para apoiar Robinson Faria

O ex-prefeito de Cruzeta, Sally …. do partido da candidata ao sendo, Wilma de Faria, resolveu não acompanha-la no voto a Henrique Alves e declarou o seu apoio ao candidato, Robinson Faria..
Quando não é o povo de Henrique Alves deixando Wilma é o povo de Wilma deixando Henrique Alves..
O ex-prefeito Sally fez um comício para perguntar ao povo se queria que ele apoiasse Henrique Alves ou Robinson.. O povo respondeu: Robinson

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Visita Pastoral de Dom Jaime a Paróquia de Canguaretama

Participe dos momentos da Visita Pastoral de Dom Jaime Vieira Rocha, que de 29 a 31 de agosto irá se encontrar com a pastorais da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição.
Postado por Edson Silva