SOU FORTE, SOU GUERREIRO, SOU BRASILEIRO!

SOU FORTE, SOU GUERREIRO, SOU BRASILEIRO!
Enquanto Houver Razões Eu Não Vou Desistir

terça-feira, 30 de junho de 2015

Política Estudantil : UERN volta a participar dos Jogos Universitários do RN

A Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) voltou a participar dos Jogos Universitários estaduais. A instituição, que no ano passado ficou fora da competição, levou aos 59° Jogos Universitários do Rio Grande do Norte (JURN's) que está sendo realizado em Natal, 54 atletas. Eles competem nas modalidades Futsal feminino e masculino, Basquetebol Masculino, e Handebol Masculino.
O reitor Pedro Fernandes destacou que a presença dos atletas da UERN nos Jogos Universitários é mais uma prova de que a assistência estudantil é prioridade da gestão. "A insistência da gestão em priorizar a assistência estudantil concretizou mais uma grande etapa. Estamos participando do JURN's - 59º JOGOS UNIVERSITÁRIOS DO RIO GRANDE DO NORTE", exaltou o reitor, lembrando que a formação dos times se deu com o resgate dos jogos universitários internos -JUERN'S. A competição ocorreu em maio, com a participação de estudantes de todos os Campi da Universidade, resgatando o esporte e fomentando o espírito de competitividade comprovado.
Para o vice-reitor Aldo Gondim, a retomada do desporto universitário foi de vital importância para a UERN. “Quando assumimos, nossa gestão teve como foco as políticas estudantis, e os jogos universitários são importantíssimos nessa nossa visão. A gestão assumiu para si esse momento levando a criar dentro da Diretoria de Assuntos Estudantis um departamento com esse fim”, frisou.
A partir da próxima semana começa o ciclo de preparação para 2016. “Vamos preparar o plano de ações. Esse ano tudo foi muito corrido, mas a meta de voltar a participar dos eventos esportivos foi atingida”, explica o diretor de assuntos estudantis, Adalberto Veronese.
No próximo final de semana, os atletas da UERN competirão no basquete, futsal feminino e masculino.
Fonte: UERN

Quando o fascismo cresce, silenciar é ser cúmplice

- por Jorge Furtado, cineasta

Fiquei muitos meses sem escrever por aqui, por excesso de trabalho e por achar que o debate político estava tão alterado que a atitude mais sábia era o silêncio. Esperava que os derrotados das eleições fizessem o mesmo, deixassem passar os primeiros meses do novo governo para cobrar resultados. 

Meu volume de trabalho não diminuiu, na verdade cresceu, e os derrotados não esperaram nem um dia para subir ainda mais o volume e a grosseria das críticas, muitos pregam em voz alta, sem qualquer pudor, a volta da ditadura militar ou qualquer outro golpe que lhes devolva o poder que perderam nas urnas.

Volto a escrever sobre política porque o crescimento da direita, da intolerância, do fascismo, da ignorância e da homofobia, transforma os calados em cúmplices. A história ensina que os inimigos da democracia se utilizam da frustração e dos anseios legítimos da sociedade, das pessoas de boa fé, para chegar ao poder, e então passam a exercê-lo com tirania, perseguindo minorias, promovendo a intolerância e a violência. E aí é tarde demais para combatê-los pacificamente.

Não é possível ficar quieto quando o congresso é dominados pelo que há de pior na sociedade brasileira, bandidos e falsos pastores, achacadores em nome de Cristo, picaretas envolvidos em todo tipo de falactrua, legislando em causa própria, manobrando votações, chantageando empresários para garantir seu butim, promovendo cultos religiosos no plenário, fomentando a homofobia e a ignorância. O atual congresso brasileiro, comandado por Renan Calheiros e Eduardo Cunha, ambos investigados por uma dúzia de crimes e toda sorte de imoralidades, é uma vergonha para o país.

Não é possível aceitar calado que o ministro Gilmar Mendes, uma única pessoa sem um único voto, por uma manobra rasteira, mantenha engavetado, por mais de um ano, um projeto de mudança da legislação eleitoral já aprovado pela maioria dos juízes, projeto este que, se não impede, dificulta em muito a roubalheira nas eleições e na política. A quase totalidade dos escândalos que entravam a vida nacional e sangram os cofres públicos está relacionada com a doação de empresas aos políticos, que retribuem o favor legislando contra o interesse da maioria da população e superfaturando obras, ambulâncias, remédios. Sem o fim da doação de empresas para políticos a roubalheira nas eleições será eternizada.

Não é possível silenciar quando a presidente Dilma, eleita legitimamente pela maioria da população brasileira para manter e aprofundar os avanços dos governos populares, concede a tal ponto em nome de uma suposta governabilidade que entrega a economia aos banqueiros, a agricultura aos latifundiários do agronegócio e a política aos sanguessugas do PMDB, um partido que é eternamente governo porque sua única convicção é ser eternamente governo. Se eu imaginasse que e Katia Abreu, Levy e Eliseu Padilha poderiam ser ministros de Dilma teria votado em Luciana Genro.

Infelizmente, quem deveria fiscalizar o governo, o legislativo e o judiciário é a imprensa, que tornou-se irrelevante quando abriu mão de fazer jornalismo para fazer oposição partidária. A imprensa brasileira, que sempre foi ferozmente governista, descobriu sua vocação oposicionista quando a Casa Grande perdeu um pouco o seu poder. É constrangedor ver jornalistas ou similares pensando exatamente como seus patrões mandam. Talvez pela profunda crise que o setor atravessa, com jornais e audiências minguando, velhos jornalistas e jovens sedentos de poder e fama se agarrem aos seus empregos com unhas e dentes, repetindo bobagens até a náusea. A verdade não agrada o patrão? Esqueça! O bandido disse que também deu dinheiro aos tucanos? Ignore! O patrão esconde dinheiro na Suíça e sonega fiscais para não pagar impostos? Não é comigo! O mensalão foi criado para eleger o presidente do PSDB? Concentre-se no plágio petista! A acusação contra um petista não faz sentido? O que importa? A antiga imprensa, que já estava seriamente ameaçada por conta da revolução digital, acelerou seu caminho para o fim abrindo mão do princípio básico do jornalismo: a defesa da verdade factual. Quando a história da antiga imprensa brasileira for contada descobriremos que ela não morreu, suicidou-se.

Você pode achar esta conversa de política uma chatice, e é mesmo. O problema é que os que não gostam de política são governados por aqueles que gostam. Ontem, pela segunda vez, imbecis agrediram o ex-ministro Mantega num restaurante. Outro dia foi num avião, um jornalista - sozinho - que lia uma revista, foi atacado por um punhado de trogloditas. Jô Soares foi ameaçado de morte por entrevistar a presidente da república, eleita democraticamente. Os sinais de intolerância crescem, tornam-se mais frequentes e mais violentos, é de se esperar que a ignorância dos mal informados covardes que andam em bando logo produza vítimas. Silenciar é ser cúmplice deste fascismo crescente.

Votei no Lula e na Dilma na esperança de promover a inserção social, a melhor distribuição de renda, para garantir a geração de empregos, o acesso dos filhos dos trabalhadores às universidades, na esperança de melhorar a vida dos mais pobres, para ver a corrupção ser investigada e punida. Tudo isso aconteceu, menos do que eu esperava, porém mais do que nunca. 40 milhões de pessoas passaram a ter uma vida mais digna, a fome foi praticamente erradicada, os níveis de emprego se mantém altos, milhares de jovens passaram a ter acesso ao ensino superior, a mortalidade infantil no Brasil caiu pela metade.

O combate à corrupção também avançou muito. Uma lei promulgada por Dilma permite que hoje os corruptores também sejam punidos. A Polícia Federal investiga, o Procurador Geral da República não engaveta as denúncias e vemos, pela primeira vez, empresários, políticos e banqueiros graúdos serem investigados e presos. É bom lembrar (já que ninguém lembra) que Renan Calheiros, que hoje é investigado pela Polícia Federal, no governo de Fernando Henrique era o Ministro da Justiça e, portanto, chefe da Polícia Federal! E foi neste momento (segundo o Ministério Público e segundo vários bandidos delatores), no final do primeiro mandado de FHC, que a quadrilha de Youssef começou a roubar a Petrobrás. Mas também é fato que a continuidade no poder atraiu toda espécie de picaretas que, somados aos picaretas já existentes no PT, sugam os recursos públicos que faltam para os hospitais, para a escolas, para a segurança pública. E os avanços do governo popular começam a ser comprometidos.

Felizmente - talvez pela cretinice evidente dos seus apoiadores na mídia - a direita brasileira tem perdido eleições com agradável regularidade, foram quatro, em dois turnos, nos últimos 13 anos. Oito vezes o povo brasileiro foi às urnas dizer não à intolerância, ao egoísmo e a hipocrisia. Espero que eles percam outra vez em 2018, mas se até lá o PT não se livrar desta direita truculenta, homofóbica, picareta e ignorante, pode até ganhar as eleições, mas não terá mais o meu voto.

Afinal, até quando vamos aceitar calados as agressões dos derrotados nas urnas, uma elite iletrada, egoísta, ignorante e preconceituosa, que ficou 500 no poder e transformou o Brasil no país mais desigual do planeta?

Fonte> blog: Tudo em Cima - http://tudo-em-cima.blogspot.com.br/2015/06/quando-o-fascismo-cresce-silenciar-e.html

Projeto de José Serra (PSDB) que promete entregar o PréSal começou em 2010

Segundo telegrama do WikiLeaks, Serra prometeu alterar regras caso vencesse..a eleição de 2010. Não venceu,mas como senador, esta tentando cumprir a promessa de  doar a Petrobras para os americanos.

Com uma hora e 20 minutos de atraso, o plenário do Senado iniciou nesta terça-feira, 30, uma sessão temática para discutir o projeto de lei do Senado, de autoria do senador José Serra (PSDB-SP), sobre a participação da Petrobras na exploração do pré-sal. O projeto de Serra acaba com a obrigação de a Petrobras ser operadora única e de ter participação mínima de 30% na exploração do pré-sal.

O principal motivo da demora do encontro foi que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e outros senadores participaram na manhã de hoje de um café da manhã com o ex-presidente Lula

Para debater o tema, foram convidados, entre outras personalidades, o ex-presidente da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Haroldo Lima; o presidente do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis, Jorge Marques de Toledo Camargo; o secretário de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis do Ministério de Minas e Energia, Marco Antônio Martins Almeida; e o diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura, Adriano Pires.

Quem é Adriano Pires

A ANP,  quando  era chefiada por David Zylbersztajn, genro de Fernando Henrique Cardoso, tinha em sua álta cúpula o senhor Adriano Pires, hoje o bam-bam-bam das Organizações Globo e do Instituto Milenium para assuntos de petróleoNa eleição presidencia do ano passado, o candidato derrotado,, Aécio Neves (PSDB), convidou Adriano Pires, ex-superintendente da ANP para coordenar seu programa de energia

Haroldo Lima, ex-ANP, é agora ‘consultor’ da HRT

 Diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) por oito anos, Haroldo Lima agora é consultor da petroleira HRT, fundada em 2008 por ex-funcionários da Petrobrás. A empresa foi habilitada pela agência para participar do 11º leilão de petróleo em 2013

A HRT tem 19,7% de participação de estrangeiros em seu capital social. Em julho de 2011, a empresa vendeu 45% de 21 blocos no rio Solimões para a anglo-russa TNK-BP. O contrato entre HRT e TNK prevê a opção de a segunda – na qual a British Petroleum possui 50% de participação - poder aumentar em 10% sua participação, ou seja, alcançaria 55% nos blocos na Amazônia.
 A proposta é o segundo item da pauta de votações do plenário do Senado na terça-feira à tarde. Antes disso, no entanto, os senadores têm que apreciar a Medida Provisória 670, que já passou pela Câmara, e concede reajuste escalonado por faixas da tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física.

Ciente que não tem votos para barrar a iniciativa de Serra, o Palácio do Planalto,  decidiu apoiar a proposta alternativa do líder do governo no Senado e ex-diretor da Petrobras, Delcídio Amaral (PT-MS), para que ao menos a estatal tenha preferência nos leilões do pré-sal.

Em 2010, quando José Serra foi candidato a presidência, a Folha publicou:

WIKILEAKS OS PAPÉIS BRASILEIROS 

Petroleiras foram contra novas regras para pré-sal

Segundo telegrama do WikiLeaks, Serra prometeu alterar regras caso vencesse

Assessor do tucano na campanha confirma que candidato era contrário à mudança do marco regulatório do petróleo 


JULIANA ROCHA
DE BRASÍLIA
CATIA SEABRA
DE SÃO PAULO

As petroleiras americanas não queriam a mudança no marco de exploração de petróleo no pré-sal que o governo aprovou no Congresso, e uma delas ouviu do então pré-candidato favorito à Presidência, José Serra (PSDB), a promessa de que a regra seria alterada caso ele vencesse.

É isso que mostra telegrama diplomático dos EUA, de dezembro de 2009, obtido pelo site WikiLeaks (www.wikileaks.ch). A organização teve acesso a milhares de despachos. A Folha e outras seis publicações têm acesso antecipado à divulgação no site do WikiLeaks.

"Deixa esses caras [do PT] fazerem o que eles quiserem. As rodadas de licitações não vão acontecer, e aí nós vamos mostrar a todos que o modelo antigo funcionava... E nós mudaremos de volta", disse Serra a Patricia Pradal, diretora de Desenvolvimento de Negócios e Relações com o Governo da petroleira norte-americana Chevron, segundo relato do telegrama.

Um dos responsáveis pelo programa de governo de Serra, o economista Geraldo Biasoto confirmou que a proposta do PSDB previa a reedição do modelo passado.

"O modelo atual impõe muita responsabilidade e risco à Petrobras", disse Biasoto, responsável pela área de energia do programa. "Havia muito ceticismo quanto à possibilidade de o pré-sal ter exploração razoável com a mudança de marcos regulatórios que foi realizada."

Segundo Biasoto, essa era a opinião de Serra e foi exposta a empresas do setor em diferentes reuniões, sendo uma delas apenas com representantes de petroleiras estrangeiras. Ele diz que Serra não participou dessa reunião, ocorrida em julho deste ano. "Mas é possível que ele tenha participado de outras reuniões com o setor", disse.

SENSO DE URGÊNCIA

O despacho relata a frustração das petrolíferas com a falta de empenho da oposição em tentar derrubar a proposta do governo brasileiro.

O texto diz que Serra se opõe ao projeto, mas não tem "senso de urgência". Questionado sobre o que as petroleiras fariam nesse meio tempo, Serra respondeu, sempre segundo o relato: "Vocês vão e voltam".

A executiva da Chevron relatou a conversa ao representante de economia do consulado dos EUA no Rio.

A mudança que desagradou às petroleiras foi aprovada pelo governo na Câmara no começo deste mês.

Desde 1997, quando acabou o monopólio da Petrobras, a exploração de campos petrolíferos obedeceu a um modelo de concessão.

Nesse caso, a empresa vencedora da licitação ficava dona do petróleo a ser explorado -pagando royalties ao governo por isso.

Com a descoberta dos campos gigantes na camada do pré-sal, o governo mudou a proposta. Eles serão licitados por meio de partilha.

Assim, o vencedor terá de obrigatoriamente partilhar o petróleo encontrado com a União, e a Petrobras ganhou duas vantagens: será a operadora exclusiva dos campos e terá, no mínimo, 30% de participação nos consórcios com as outras empresas.

A Folha teve acesso a seis telegramas do consulado dos EUA no Rio sobre a descoberta da reserva de petróleo, obtidos pelo WikiLeaks.

Datados entre janeiro de 2008 e dezembro de 2009, mostram a preocupação da diplomacia dos EUA com as novas regras. O crescente papel da Petrobras como "operadora-chefe" também é relatado com preocupação.

O consulado também avaliava, em 15 de abril de 2008, que as descobertas de petróleo e o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) poderiam "turbinar" a candidatura de Dilma Rousseff, então ministra da Casa Civil.

O consulado cita que o Brasil se tornará um "player" importante no mercado de energia internacional.
Em outro telegrama, de 27 de agosto de 2009, a executiva da Chevron comenta que uma nova estatal deve ser criada para gerir a nova reserva porque "o PMDB precisa de uma companhia".

Texto de 30 de junho de 2008 diz que a reativação da Quarta Frota da Marinha dos EUA causou reação nacionalista. A frota é destinada a agir no Atlântico Sul, área de influência brasileira.

Fonte: http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/2015/06/projeto-de-jose-serra-psdb-que-promete.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+blogspot/Eemp+(Os+Amigos+do+Presidente+Lula)

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Inscrições para vagas no ensino técnico começam hoje

Quem quiser concorrer a um vaga no ensino técnico pode se inscrever a partir de hoje (29) no Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec), na internet. As inscrições vão até sexta-feira (3). Para se candidatar, é preciso ter feito a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2014 e não ter tirado 0 na redação.

Por meio do Sisutec, instituições públicas e privadas de ensino superior e de educação profissional e tecnológica oferecem vagas gratuitas em cursos técnicos para participantes do Enem. A divulgação dos resultados, em primeira chamada, está prevista para o dia 7 de julho. A segunda chamada deve sair no dia 14 de julho. As aulas dos cursos terão início entre os dias 3 e 31 de agosto de 2015, de acordo com o edital.


Gilv@n Vi@n@

Cunha pode ser a bola da vez na Lava Jato

Procuradores e advogados esperam uma reviravolta nas investigações que o procurador-geral Rodrigo Janot comanda e que envolvem o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), na Operação Lava Jato. Até o mês passado, delatores que poderiam apresentar elementos contra o parlamentar se mantinham calados, a ponto de sofrerem ameaças dos investigadores de terem os benefícios da colaboração anulados caso omitissem informações.
A informação é de Mônica Bergamo, na sua coluna desta segunda-feira na Folha de S.Paulo.  Diz a colunista que Janot, no limite, pensaria até em apresentar medida cautelar pedindo o afastamento de Cunha da presidência da Câmara. A defesa do parlamentar tem repetido que Janot tenta coagir testemunhas. Cunha diz que as motivações do procurador-geral são políticas e que ele escolhe a quem investigar.
Fonte: SINDSPUMC

 

Estados e municípios atrasam entrega de propostas estratégicas à educação

Um ano após a aprovação do Plano Nacional da Educação (PNE), planejamento feito por estados e municípios para cumprir metas locais no setor deixa a desejar em alguns aspectos. De acordo com especialistas ouvidos pelo Correio, há fragilidades na previsão de recursos para ampliação e melhoria da qualidade da rede de ensino, participação insuficiente da sociedade nas discussões e exclusão de temas importantes, como questões de gênero. Muitos planos regionais apenas reproduziram as diretrizes nacionais e outros nem sequer foram concluídos. Até a noite de sexta-feira, 11 das 27 unidades da Federação e 3.924 dos 5.570 municípios haviam sancionado seus documentos.
Para arcar com as despesas educacionais, os municípios contam com a arrecadação de impostos e com transferências pontuais da União, como o Programa Dinheiro Direto na Escola, por exemplo. Doze tributos, como IPI e ICMS, são a base para esta arrecadação. “A atividade econômica caiu e a receita desses impostos e transferências está menor. Logo, é frágil a situação de receita da educação municipal neste momento”, explica Carlos Eduardo Sanches, ex-presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais (Undime) e do Conselho Nacional do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Contudo, estados e municípios têm de destinar 25% da receita para educação. O valor é de 18% no caso da União.
Gilv@n Vi@n@

Redução da maioridade penal é a principal pauta da Câmara

A votação da redução da maioridade penal de 18 para 16 anos é o principal assunto da semana na Câmara dos Deputados. O presidente da Casa, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), marcou o início da votação da proposta de emenda à Constituição (PEC 171/93) que trata do tema para hoje (30). Segundo Cunha, a PEC da maioridade penal é o único item da pauta.
De acordo com o presidente, se não acabar [a votação] na terça-feira, ela continua na quarta, na quinta, até acabar. “Depois da PEC da maioridade penal, tenho de votar a PEC da reforma política em segundo turno”, acrescentou. Desde que foi eleito presidente da Câmara, Eduardo Cunha defende a votação da proposta, em tramitação há mais de 20 ano
Fonte: http://sindspumc.blogspot.com.br/

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Aumento da penalidade adulta

FREI BETTO
"O problema do menor é o maior”, já alertava o filósofo Carlito Maia. Somos todos frutos da (des)educação que recebemos.
Vivi dois anos entre presos comuns. Conheci suas trágicas histórias de vida. Também eu e você seríamos perigosos bandidos se tivéssemos sido criados em uma "família” cujo pai, desempregado e bêbado, surrava mulher e filhos e, para se sustentar, os impedia de ir à escola e os induzia a praticar furtos.


Reduzir a maioridade penal é lavar as mãos, como Pilatos, diante do descaso para com as nossas crianças e adolescentes. É não reconhecer que elas ingressam no crime porque a sociedade não lhes assegura direitos fundamentais, como educação de qualidade.

O Brasil tem, hoje, quase 4 milhões de crianças e adolescentes, de 4 a 17 anos, fora da escola. As creches são raras e caras. Na campanha presidencial de 2010, Dilma prometeu 6 mil creches e pré-escolas, para crianças de zero a 5 anos, até 2014. O MEC admite que apenas 1/3 da meta foi cumprida.
Por que, em vez de reduzir a maioridade penal, não se aumenta a oferta de educação de qualidade gratuita e em tempo integral? Educação é direito do cidadão e dever do Estado. Em países com plena escolaridade a criminalidade precoce é residual. E quando existe não se culpabiliza a criança, e sim a sociedade, que é responsável por educá-la e oferecer-lhe um futuro promissor.
Em 2006, o Brasil se comprometeu, na OIT (Organização Internacional do Trabalho), a erradicar, até o fim de 2015, as 89 "piores formas de trabalho infantil”. A meta não será cumprida, já admitiu o governo. Embora nos últimos doze anos tenha sido de 58,1% a redução do trabalho infantil, ainda há 3,2 milhões de crianças e jovens, de 5 a 17 anos, no mercado de trabalho.
O trabalho infantil fere a Constituição e o Estatuto da Criança e do Adolescente. No entanto, quem o utiliza não incorre em nenhum crime. Exploração do trabalho infantil não existe no Código Penal Brasileiro. Dos 715 mil presos que lotam nossas cadeias, nenhum se encontra ali por explorar crianças e adolescentes.
O projeto para mudar tal anomalia trafega lentamente no Congresso. Há parlamentares que defendem, abertamente, ser preferível uma criança "trabalhando que roubando”. Ou seja, o adulto empregador pode, impunemente, explorar mão de obra infantil. Mas se a criança furtar, dá-lhe cadeia e penalidade severa. Charles Dickens deve estar se revirando no túmulo!
Enquanto adultos tentam se eximir de suas responsabilidades e propõem reduzir a maioridade penal, sem enfrentar as causas da criminalidade infantil e da miséria, em Itaguaí (RJ) crianças de 9 a 13 anos chegam a ganhar R$ 1 mil por semana do narcotráfico para servirem de olheiros em bocas de fumo, vapores (vender pequenas quantidades de drogas) e monitorar o acesso aos pontos de venda.
Não basta "pacificar”, com repressão policial, áreas dominadas por traficantes. É preciso introduzir ali escolas, praças de esportes, salas de arte, cursos profissionalizantes, aulas de teatro, música e dança. Enfim, educação.
Frei Betto é escritor, autor de "Diário de Fernando – nos cárceres da ditadura militar brasileira” (Rocco), entre outros livros. 
Os artigos publicados na seção “Opinião Classista” não refletem necessariamente a opinião da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e são de responsabilidade de cada autor.

Morre de acidente automobilístico o Cantor Cristiano Araújo.

Link permanente da imagem incorporada
CRISTIANO ARAÚJO
Adicionar legenda

(Fonte G1)

O cantor Cristiano Araújo morreu na manhã desta quarta-feira (24) após sofrer um acidente de carro na BR-153, no km 614, entre Morrinhos e o trevo de Pontalina, em Goiás. A informação foi confirmada pelo Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), para onde ele foi transferido, e pela assessoria de imprensa do cantor.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o sertanejo voltava de um show em Itumbiara, no sul do estado, por volta das 3h30, quando veículo em que ele estava, um Range Rover, saiu da pista e capotou. O cantor chegou a ser socorrido ao Hospital Municipal de Morrinhos e depois transferido em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Móvel até a capital. Em seguida, seguiu de helicóptero até o Hugo, mas não resistiu.

Empresário do cantor, Antônio Pereira dos Santos já havia confirmado que a namorada de Cristiano, identificada como Allana Moraes, 19 anos, que estava com ele no veículo, morreu no local. “O corpo dela foi levada ao IML [Instituto Médico Legal] de Morrinhos e os familiares foram ao local para a liberação”, disse ao G1.

Shows
 
Na última terça-feira (23), o cantor publicou em sua página no Instagram uma mensagem dizendo que estava partindo da Bahia, ao lado na namorada, com destino a Itumbiara. Após o acidente, muitos fãs comentaram na imagem sobre o ocorrido e mandam mensagens de solidariedade ao cantor.

O próximo show de Cristiano Araújo estava marcado para acontecer na noite desta quarta-feira em Caruaru, em Pernambuco.

Fonte: G 1

Quina de São João deve pagar R$ 120 milhões na quarta


dinheiroAs lotéricas já estão recebendo as apostas para a Quina de São João, que terá o sorteio realizado amanhã quarta-feira (24). A previsão é que o prêmio principal do sorteio especial seja de R$ 120 milhões. Caso apenas uma aposta leve a bolada, o ganhador poderá se aposentar com uma renda de mais de R$ 790 mil mensais, o equivalente a mais de R$ 26 mil por dia, segundo a Caixa Econômica Federal. Se preferir investir em bens, ele poderá comprar 120 imóveis de R$ 1 milhão cada ou uma frota de 800 carros de luxo.
A Quina de São João é um dos quatro concursos diferenciados da Caixa. Os outros são: Mega da Virada, Lotofácil da Independência e Lotomania de Páscoa. A última edição da Quina de São João premiou sete pessoas, que dividiram o prêmio de R$ 104 milhões, o que corresponde a R$ 14,9 milhões cada uma. O prêmio do sorteio especial não acumula. Se não houver ganhadores, o prêmio será dividido entre os acertadores da quadra e assim por diante.
Gilv@n Vi@n@

Comissão da reforma política foi instalada pelo Senado nesta terça

A comissão especial que analisará as propostas da reforma política foi instalada nesta terça-feira (23), às 17h, em evento na sala de audiências da Presidência do Senado. O colegiado será presidido pelo senador Jorge Viana (PT-AC) e terá como relator o senador Romero Jucá (PMDB-RR). O trabalho da comissão será organizar os temas da reforma política para votação em Plenário a partir de duas fontes: propostas originárias do próprio Senado e o substitutivo da Câmara dos Deputados à PEC 23/2007.
Tema central das votações da Câmara ao longo das últimas semanas, o substitutivo será remetido ao Senado quando tiver sua apreciação concluída. A PEC original tratava apenas de fidelidade partidária, mas ideias oriundas de outros projetos e de emendas dos deputados foram incorporadas a ela. O texto final cobre uma variedade mais ampla de temas.
Gilv@n Vi@n@

Convocada audiência para discutir proposta de resolução sobre criação de partidos

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) promoveu hoje 23 de julho, audiência pública para coletar sugestões e propostas de partidos políticos, entidades e pessoas a respeito de minuta de resolução que disciplina a criação, organização, fusão, incorporação e extinção de partidos políticos. O ministro Henrique Neves é o relator da minuta de resolução e presidiu a audiência pública, que ocorreu no auditório I do TSE.
Em seu despacho de convocação da audiência pública, o ministro Henrique Neves afirmou que, considerada a relevância do assunto, assim como a proposta de modernização do processo de criação de partidos políticos e a regulamentação do registro dos atos partidários junto à Justiça Eleitoral, “torna-se recomendável que a sociedade e os principais interessados sejam ouvidos para que possam contribuir com suas sugestões ou críticas, essenciais para a formação do entendimento desta Corte”.
Gilv@n Vi@n@

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Vem pacote para levantar a aprovação de Dilma

O governo reagiu com resignação ao novo recorde de rejeição a Dilma Rousseff captado pelo Datafolha e espera que ele caia abaixo dos dois dígitos no início do segundo semestre. Sem muita margem para mudar o quadro, o Planalto empacota uma série de ações para tentar impulsionar a economia.
As iniciativas, nem todas novas, incluem o plano de agricultura familiar, a fase 3 do Minha Casa, Minha Vida — que em 2015 quase não teve novos contratos — e o plano de banda larga. A informação é de Vera Magalhães, na Folha de S.Paulo desta segunda-feira.
Gilv@n Vi@n@

‘Não acredite em boatos e espalhe a verdade’, pede perfil de Lula no Facebook

lulaptDepois das prisões dos presidentes da Odebrecht e da Andrade Guttierez, além de executivos das duas empresas, o perfil do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Facebook foi usado neste domingo para defender o petista das denúncias de que recebeu dinheiro de empreiteiras investigadas pela Lava-Jato.
“O Instituto Lula não recebe qualquer tipo de verba pública e financia suas atividades com doações espontâneas de pessoas físicas e jurídicas. Não acredite em boatos e espalhe a verdade”, disse a mensagem na página de Lula, reproduzindo, em seguida, uma nota do instituto: “O Instituto Lula financia suas atividades por meio de doações espontâneas de empresas privadas e pessoas físicas. Como qualquer entidade privada, o instituto declara suas movimentações à receita federal e cumpre todas suas obrigações tributárias. o instituto lula não recebe qualquer tipo de verba pública.
Gilv@n Vi@n@

Poder Legislativo emitiu nota de pesar pela morte de Agnelo Alves

Foi com imensa tristeza que a Câmara Municipal de Natal recebeu a notícia, neste domingo (21), da morte do deputado estadual Agnelo Alves. Trata-se de uma imensa perda para a política do Rio Grande do Norte. Agnelo Alves deixa como legados o zelo com a coisa pública e a luta incansável pela democracia em nosso país.
Portanto, neste momento doloroso, os vereadores da Capital Potiguar manifestam profunda consternação e sentidas condolências à família, amigos, correligionários e admiradores deste grande brasileiro.
Gilv@n Vi@n@

Correio apresenta entrevista rara concedida por Cássia Eller em 1992

Cássia: "Quanto mais você puder aprender e escutar, é legal"

Cantoraa fala sobre Brasília, sucesso, inspirações e relação com a gravadora


Cássia Rejane Eller contava 29 anos de vida naquele setembro de 1992. A idade “avançada”, contudo, ainda não havia conseguido domar a gigantesca timidez da artista — que nasceu no Rio de Janeiro e iniciou a carreira em Brasília. Cássia havia acabado de lançar o segundo disco, O marginal, quando foi convidada a se apresentar em um festival de música na pequena Conceição do Mato Dentro (MG), cidade a 160km de Belo Horizonte. Apesar de ter morado com os pais na capital do estado no fim da infância, aquela era a primeira vez que a cantora se apresentava sozinha em Minas Gerais.

“Eu sou ruim de falar, mas queria dizer que essa cidade é muito legal. Espero voltar”, disse Cássia em um programa de rádio local no dia seguinte à apresentação. A conversa, conduzida pelo músico Renato Carvalho, foi transmitida à população local em 1992 e permaneceu guardada nos arquivos do entrevistador. O Correio a reproduz aqui com exclusividade.

 “Eu havia ido a Brasília um tempo antes e as pessoas já comentavam dela, dizendo que uma grande cantora da cidade iria estourar em breve. Quando a entrevistei, Cássia estava tocando sem parar com a versão que fez para Por enquanto, do Renato Russo”, recorda-se Renato Carvalho, que hoje integra o grupo de samba Zé da Guiomar. Para fazer a entrevista, Cássia e Renato conversaram bastante, a fim de criarem intimidade e o diálogo fluir mais facilmente. Antes do papo, a artista pediu um café e tratou ela mesma de se servir. Logo depois da conversa, soltou uma gargalhada daquelas e disse: “P… que pariu, tomei o café porque estava me c… de medo”.


Cássia, como foi o início da sua carreira em Brasília?
Comecei a cantar em 1981 e o primeiro trabalho que eu fiz foi com o Oswaldo Montenegro, um espetáculo musical. Era o Veja você Brasília. Trabalhei com ele dois anos. Fiz o musical Cristal, também dele. Cantei em ópera, em teatro e em um trio elétrico chamado Massa Real. Trabalhei em três óperas — inclusive cantei em Belo Horizonte, no Palácio das Artes. 

Canto lírico e trio elétrico combinam?
(Risos) não combinam muito, não. Mas é bom, né?! É música. Quanto mais você puder aprender e escutar, é legal.

Fonte: Correio Braziliense

quarta-feira, 17 de junho de 2015

SINTE/RN: Chapa 1 é reeleita para a direção do SINTE com 58,53% dos votos

Os filiados ao Sinte-RN reconduziram A Chapa 1 para a direção do Sinte-RN. A chapa liderada por Fátima Cardoso, Rômulo Arnauld e José Teixeira obteve 6.216 votos, mais do que a soma das outras três juntas. A apuração começou no início da noite de ontem(16) e se estendeu madrugada a dentro, até próximo às 4h.

No início, a contagem apontava uma disputa que parecia acirrada entre a Chapa 1 e a Chapa 2, segunda colocada nas eleições. A chapa oposicionista chegou a ultrapassar a chapa da atual diretoria em dois momentos no início da apuração. Mas a distância entre os dois grupos foi aumentando cada vez mais, a medida que eram apurados os votos do Interior do Estado.

 Ao todo mais de 11 mil filiados compareceram às urnas. A Chapa 1 conquistou 58,53% dos votos válidos. A Chapa 2, obteve 28,00; a Chapa 4 ficou com 9,49% e a Chapa 3 com 3,97%;

A Coordenadora Geral reeleita, professora Fátima Cardoso, agradeceu os votos. “Agradeço em nome da Chapa 1 os mais de seis mil votos de confiança. Faço questão de dizer que nossa gestão continuará sendo em favor de toda a categoria, independente de terem ou não votado em nossa chapa”, afirmou.

O também coordenador reeleito, Rômulo Arnaud, destacou a votação massiva obtida no Interior do Estado sobretudo na Regional de Mossoró e fez questão de parabenizar as chapas concorrentes . “Ao mesmo tempo em que agradecemos pela votação massiva, aproveito também para parabenizar as demais chapas. A participação delas, fortaleceu ainda mais a democracia do nosso Sindicato”, ressaltou.

Fonte: SINTE/RN

terça-feira, 16 de junho de 2015

NOVA CRUZ/RN: I FÓRUM MUNICIPAL DE COMBATE AO TRABALHO INFANTIL FOI REALIZADO HOJE


 Prefeito CID ARRUDA saudando os participantes do I FÓRUM MUNICIPAL DE COMBATE aAO TRABALHO INFANTIL



 Nossas competentes assistentes sociais/pedagogas - Juliane Borges e Dreyd Karla
 Cerca de 80 participantes estiveram no evento

 Esquerda: Articulador do Selo Unicef, Eduardo Vasconcelos ao lado da Coordenadora, Iris e Vereador João da Praça
 Secretária da SMAS, Márcia Valéria na abertura falando da importância do Fórum







 Belíssima apresentação das crianças do SEMEAR
 Profissionais super competentes: Juliane Borges e Dreyd Karla - SEMEAR
 Professores/as, assistentes sociais, entre outros participaram do FÓRUM

 Presenças dos vereadores: Valdo, Aluisio Sena e Antonio Gomes
 Momento prazeroso: Apresentação das crianças do SEMEAR








 Estudantes do Curso de Assistente Social da UNOPAR marcaram presença

 Micaline do NUCA ao de uma criança assistida pelo SEMEAR
 Dreyd Karla - SEMEAR, ações de 2014/2015
Juliane Borges - SEMEAR, ações de 2014/2015
 Palestra: "A Importância do Trabalho em Rede para o Enfrentamento do Trabalho Infantil" - Palestrante: Célia Maria Galvão de Menezes - Técnica do Ministério do Trabalho e Integrantes do Fórum Estadual de Combate ao Trabalho de Criança e Proteção ao Trabalhador Adolescentes - FOCA/RN

A Prefeitura de Nova Cruz por intermédio da Secretaria de Assistência Social realizou nessa terça-feira (16), o I Fórum Municipal de Combate ao Trabalho Infantil, que aconteceu no auditório da Câmara Municipal. As discussões realizadas no encontro foram focadas nas ações de efetivação do trabalho em rede como solução de enfrentamento desse problema social.
Após a formação da mesa ouviu-se o Hino Nacional e em seguida a palavra da Secretária de Assistência Social, Márcia Valéria e em seguida a do Prefeito CID ARRUDA CÂMARA, que enfatizou a importância do Fórum e assegurou todo apoio as ações do Fórum, garantindo a execução do Plano Municipal de Combate ao Trabalho Infantil em etapas a serem discutidos entre o Fórum, Sociedade, Poderes Executivo e Legislativo, garantindo assim a eficaz do plano..
Na parte cultural Grupo de Crianças vinculadas ao SEMEAR - Centro e de Lagoa Limpa apresentou-se cantando uma musica inédita feita pelo facilitador, Lucas D'vinno e as crianças, como uma peça teatral sobre Trabalho Infantil, levantando aplausos dos presentes.
A programação do evento iniciou com uma discussão sobre a execução do Plano Municipal de Combate ao Trabalho Infantil, que foi produzido pela prefeitura. O tema vai ser orientado pela secretária de Assistência Social de Nova Cruz, Márcia Valéria de Morais. “Nossa intenção foi expor o Plano ao público participante do Fórum com o intuito de maximizar as ações da melhor maneira possível”, explicou a secretária.
Antes de iniciar a palestra o Articulador do Selo Unicef 2013/2016, Eduardo Vasconcelos aproveitou para divulgar a realização do II Fórum Comunitário, que ocorrerá dia 09 de julho no Plenário da Câmara e o Fórum Municipal da Primeira Infância, onde discutirá o Plano Municipal da Primeira Infância, também no Plenário da Câmara de Vereadores, dia 16 de julho pela manhã.
O Fórum seguiu com uma palestra  sobre a Importância do Trabalho em Rede para o Enfrentamento do Trabalho Infantil,  administrada pela técnica do Ministério do Trabalho, Célia Maria de Menezes, e pelo integrante do Fórum Estadual de Combate ao Trabalho da Criança e Proteção ao Trabalho Adolescente, Nilson Alves.
O encontro foi concluído com uma apresentação da segunda palestra onde foi  debatido o assunto referente às Implicações do Trabalho Infantil no Desenvolvimento da Criança e do Adolescente. Na responsabilidade da orientação sobre a temática que ficour a cargo da médica do Centro Estadual de Referência em Saúde do Trabalhador, Ariluce Fernandes.
O I Fórum Municipal de Combate ao Trabalho Infantil foi encerrado após a conclusão dos ciclos de debates.
Participaram do I Fórum, várias estudantes de Serviço Social; vereadores: João da Praça - Vice Presidente da Câmara - Valdo - Antonio Gomes e Aluisio Sena; Presidente do CMDCA - Pastor José Vieira de Sousa; Conselheiras Tutelares: Zenaide Toge e Grécia Sousa; diretores de escolas e creches; Lucas D'vinno - AMES, entre outros.