SOU FORTE, SOU GUERREIRO, SOU BRASILEIRO!

SOU FORTE, SOU GUERREIRO, SOU BRASILEIRO!
Enquanto Houver Razões Eu Não Vou Desistir

quinta-feira, 31 de julho de 2014

O JORNALISMO BUSCA PÉ

Se é possível definir as características da mídia tradicional do Brasil neste período pós-Copa do Mundo, pode-se dizer que o jornalismo se tornou errático, como um desses rojões de festa junina chamados de busca-pé.

Se o observador atento empilhar as primeiras páginas dos principais diários de circulação nacional e analisar as manchetes e os títulos das reportagens principais, vai concluir que a nossa imprensa anda desorientada.

Trata-se, porém, de uma interpretação equivocada: os jornais apenas parecem não ter um rumo, mas há por trás de cada decisão editorial uma lógica e um objetivo claro.

Infelizmente, para os editores, os fatos de cada dia não pedem licença para acontecer. A sensação de inconstância que pode ser produzida pela leitura dos jornais nasce da determinação dos editores de buscar uma finalidade específica em todos os tipos de evento.

Sem mais disfarces, a imprensa hegemônica no Brasil tem se dedicado a instrumentalizar os acontecimentos com o objetivo de promover uma visão específica de mundo, que é explicitada constantemente nos editoriais e nos principais artigos das editorias de opinião.

Para o leitor constatar esse fenômeno, basta começar a leitura pelos textos opinativos, em vez de priorizar as manchetes: ali vai encontrar uma espécie de guia para interpretar praticamente tudo que um jornal considera essencial em cada dia.

Eventualmente, esse modelo de jornalismo pode produzir contradições, mas quem se importa?

Os editores parecem considerar que o mundo é refundado a cada nova edição e, portanto, o que foi dito hoje pode ser reinterpretado de maneira exatamente oposta amanhã, dependendo de quem é beneficiado ou prejudicado pela notícia.

A informação em si deixa de ser importante: o que vale é convencer o leitor de que a interpretação que o jornal dá aos fatos é a única correta.

Obediência aos dogmas

Essa característica é escancarada no noticiário político, onde as preferências dos jornais se manifestam de maneira mais homogênea e mais explícita. Mas também se pode observar como a opinião pré-existente define a visão sobre os fatos da economia, que por sua vez reflete o viés político a priori.

Nesse círculo onde o valor de cada notícia é condicionado por um conjunto de dogmas que não podem ser questionados, não há possibilidade de se produzir uma visão inovadora do contexto social onde os fatos acontecem. Uma interpretação conservadora sempre se impõe sobre qualquer evento.

Mesmo quando os jornais falam, por exemplo, de inovação, o leitor que está familiarizado com esse tema, que acompanha os debates internacionais sobre o assunto, sente imediatamente o cheiro de mofo das coisas velhas.

No noticiário econômico dos jornais chamados genéricos, há um limite claro para a interpretação dos indicadores, de medidas oficiais e decisões de negócios. Os jornais especializados abordam a conjuntura econômica de maneira mais equilibrada e estimulam a reflexão, ao apresentar detalhes dos fatos específicos de cada setor e das empresas mais destacadas.

Os jornais genéricos criam uma conjuntura econômica de conveniência política, a partir de fatos selecionados arbitrariamente, para produzir o cenário que convém ao seu propósito de determinar a opinião dos eleitores.

Esse raciocínio pode ser aplicado, por exemplo, no caso que envolve uma análise divulgada pelo banco Santander, na qual há uma clara interferência no debate eleitoral. Depois da reação do governo federal, o presidente do banco vem repetindo que se tratou de um equívoco, que o banco não pensa daquela maneira e que os responsáveis teriam sido demitidos sumariamente. O presidente do Santander sabe quanto pode perder ao comprometer publicamente a instituição com um dos lados da política, se esse lado for derrotado nas eleições.

Nesta quarta-feira (30/7), os jornais se dão conta da armadilha que criaram para si mesmos. Juntando lé com cré, no ambiente de baixa densidade reflexiva das redações, chega-se à perigosa conclusão de que o episódio pode colocar em dúvida o acerto de futuras análises feitas pelo mercado, que a imprensa costuma acatar como se fossem manifestações dos deuses.

Então, o busca-pé da imprensa ricocheteia e já busca outra direção.
Fonte: Saraiva 13
Luciano Martins Costa
No OI

PREFEITURA DE NOVA CRUZ-RN ENTREGA CERTIFICADOS DO CURSO DE INFORMÁTICA AS CRIANÇAS E ADOLESCENTES FORMADOS NO TELECENTRO EDMAR VIANA

Crianças ao lado do prefeito CID ARRUDA, Valéria Arruda Câmara - SME e Miguel Rosa, coordenador pedagógico ilustrando seus certificados

 Prefeito CID ARRUDA ao lado da carismática Luana
 Apresentação da Orquestra Municipal de Nova Cruz composta por crianças e adolescentes de várias escolas do município.



 Prefeito Cid Arruda ao lado do aluno, Jonathan da Silva
 Prefeito Cid Arruda ao lado da secretária Valéria Arruda Câmara, Junior Oliveira e Miguel Rosa entregando do aluno Luan
 Secretária Valéria entregando ao aluno Valtércio 

 Professor Junior Oliveira e a aluna Karolaine Sthefanys
 Professor Miguel Rosa ao lado da aluna Ana Paula
 Alunos concluintes do Curso de Informática Básica 
 Professores/as e diretores/as prestigiando a solenidade
 Diretora da Escola Municipal Francisco Pereira Mattos Maria Lurdes, Valéria Arruda (SME), professor Junior Oliveira e Miguel Rosa ao lado de alunos concursados.
 Secretária de Educação, Valéria Arruda Câmara parabenizando os concluintes 
Ontem, 30 a Prefeitura de Nova Cruz-RN, através da da Secretaria Municipal de Educação entregou 60 (sessenta) certificados as crianças e adolescentes que concluíram o Curso Básico de Informática no Telecentro "EDMAR VIANA" (antigo Azulão).  Foram  03 turmas de 20 alunos cada, totalizando os sessenta alunos da Escola Municipal Francisco Pereira Mattos.

O projeto tem como finalidade de despertar e preparar as crianças e adolescentes a manusear o computador ferramenta fundamental para o desenvolvimento dos mesmos.

O prefeito Cid Arruda Câmara participou da entrega dos certificados e em seu discurso elogiou os alunos contemplados pela sua perseverança de concluir o curso e que já no presente eles colherão os frutos.

A Secretária Municipal de Educação, professora Valéria Maria Vieira Arruda Câmara parabenizou os concluintes afirmando que outros cursos virão e eles continuarão sendo beneficiados.

O Coordenador Pedagógico, Miguel Rosa Filho que também prestigiou a certificação parabenizou a todos e desejou sucesso nos estudos, dizendo que o certificado ora obtido por eles terá uma grande importância em suas vidas.

O professor Junior Oliveira, formado em Técnico de Informática pelo Instituto Federal de Educação - IFRN,  foi quem instruiu os formandos.

Após o encerramento das entregas dos certificados a Orquestra Municipal de Nova Cruz composta por crianças e jovens alunos das escolas do município fizeram uma belíssima apresentação e em seguida foi servido um lanche.

Além das autoridades registradas acima os pais, professores e diretores de escolas prestigiaram a solenidade.

terça-feira, 29 de julho de 2014

Lei anticorrupção: aprovada mas não pega ninguém

Em vigor há seis meses, a lei federal que pune empresas por atos de corrupção não foi regulamentada até hoje.
Sem essa regulamentação, e com pouco tempo de vigência, a chamada Lei Anticorrupção ainda não “pegou”: levantamento do GLOBO nos Ministérios Públicos Federal e estaduais, na Procuradoria Geral da República e na Controladoria Geral da União (CGU) mostrou baixo número de investigações baseadas na nova legislação, e ainda nenhuma punição.
Fonte: Robson Pires

Henrique Alves: Câmara não é um ministério do Executivo

Em entrevista ao jornal O Globo, o presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDB), lembrou que em alguns momentos pode ter , mas destacou que a “Casa não é um Ministério do Executivo, é um poder altivo e tem um papel importante em relação à cidadania”.
“desgostado o Poder Executivo”
Henrique defendeu as demandas da sociedade. “Não é apenas prioridade exclusiva do Executivo atender às demandas sociais do nosso país. Por que só o Executivo pode fazer, realizar, festejar os atos no Planalto?”, questionou o deputado.
Fonte: Robson Pires

TRE vai aumentar rigor na punição a 'candidatos sujões' em propagandas

Por enquanto, o tribunal tem orientado candidatos e a população sobre o tipo de propaganda permitida nas ruas. Pouco mais de 100 objetos, como placas e faixas, foram recolhidos. As apreensões devem aumentar no próximo mês



O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) recolheu, desde 6 de julho, data do início oficial da atual campanha, pouco mais de 100 unidades de placas, faixas e cartazes em locais ou horários proibidos pela legislação. O número é pequeno diante das 387 denúncias recebidas até agora por propaganda irregular, mas tem uma explicação. “Seguimos, por enquanto, com uma política de informação e educação. Estamos orientando os candidatos e a população sobre o que pode e o que não pode ser feito”, explica o juiz eleitoral Daniel Carnacchionni, que faz parte da coordenação de fiscalização de propaganda eleitoral do TRE.

Porém, a partir do início de agosto, a tendência é de que a quantidade de apreensões aumente significativamente. O material retirado das ruas, até agora, é quase todo por estar instalado em horários proibidos pela lei. Entre as 22h e as 6h, nenhum tipo de propaganda política pode permanecer na cidade. As placas, faixas e cartazes têm de ser retiradas. “Esses equipamentos permitidos precisam ser móveis, sem prejudicar nem causar riscos ao trânsito, e não podem afetar a mobilidade das pessoas nas calçadas. Também não podem ficar em vias públicas”, explica o juiz.

O TRE realizou duas operações noturnas para retirar propaganda irregular. A programação, a partir de agora, prevê pelo menos duas ações semanais. “Todas as denúncias que chegam são checadas. O TRE está atento e vai acompanhar toda a situação. Temos, como objetivo, diminuir a presença de propaganda irregular”, acrescenta Carnacchionni. Ele acrescenta que nem tudo o que está nas ruas é ilegal. O procurador-geral Eleitoral, Elton Ghersel, lamenta que a legislação permita tanta coisa. “Pode até ocorrer uma poluição visual, mas não quer dizer que esteja irregular. Mas o candidato precisa ser consciente e educado e não sujar a cidade”, salienta. Este deve ser o último ano em que placas com cavaletes e faixas serão permitidas. “Esperamos que a lei eleitoral avance nesse sentido”, acrescenta o procurador.

Por enquanto, o Ministério Público Eleitoral não recebeu nenhuma denúncia, ainda que seja um dos meios para que a população registre as reclamações. Caso elas tivessem chegado, o órgão notificaria o TRE, que é o responsável pela fiscalização e pela retirada do material irregular. Ghersel tem expectativa de que a campanha deste ano seja mais limpa do que a anterior. No início do mês, o MPE fechou um acordo com vários partidos com o objetivo de diminuir os problemas. As siglas que se comprometeram a fazer uma campanha mais limpa foram PT, PMDB, PR, PRTB, PSOL, PSTU, PV, DEM e PSDB e PRP.

Crime eleitoral
Apesar de incomodar a população visualmente, a lei eleitoral permite a presença de propaganda nas ruas. O movimento nas redes sociais contra os candidatos que sujam a cidade, no entanto, não pode incentivar a retirada dos equipamentos por parte da população. De acordo com o juiz Daniel Carnacchioni, retirar, chutar e queimar materiais de candidatos configura-se crime eleitoral.

Fonte: Correio Braziliense

" O TRE/RN tem que fazer o mesmo!" - Eduardo Vasconcelos

ESQUERDA E DIREITA

Não concordo com a afirmação, hoje muito comum, de que não mais existem esquerda e direita. Acho até que quem diz isso normalmente é de direita.

Talvez eu pense assim porque mantenho, ainda hoje, uma visão religiosa do mundo e do homem, visão que, muito moço, alguns mestres me ajudaram a encontrar. Entre eles, talvez os mais importantes tenham sido Dostoiévski e aquela grande mulher que foi santa Teresa de Ávila.

Como consequência, também minha visão política tem substrato religioso. Olhando para o futuro, acredito que enquanto houver um desvalido, enquanto perdurar a injustiça com os infortunados de qualquer natureza, teremos que pensar e repensar a história em termos de esquerda e direita.

Temos também que olhar para trás e constatar que Herodes e Pilatos eram de direita, enquanto o Cristo e são João Batista eram de esquerda. Judas inicialmente era da esquerda. Traiu e passou para o outro lado: o de Barrabás, aquele criminoso que, com apoio da direita e do povo por ela enganado, na primeira grande “assembléia geral” da história moderna, ganhou contra o Cristo uma eleição decisiva.

De esquerda eram também os apóstolos que estabeleceram a primeira comunidade cristã, em bases muito parecidas com as do pré-socialismo organizado em Canudos por Antônio Conselheiro. Para demonstrar isso, basta comparar o texto de são Lucas, nos “Atos dos Apóstolos”, com o de Euclydes da Cunha em “Os Sertões”.

Escreve o primeiro: “Ninguém considerava exclusivamente seu o que possuía, mas tudo entre eles era comum. Não havia entre eles necessitado algum. Os que possuíam terras e casas, vendiam-nas, traziam os valores das vendas e os depunham aos pés dos apóstolos. Distribuía-se, então, a cada um, segundo a sua necessidade”.

Afirma o segundo, sobre o pré-socialismo dos seguidores de Antônio Conselheiro: “A propriedade tornou-se-lhes uma forma exagerada do coletivismo tribal dos beduínos: apropriação pessoal apenas de objetos móveis e das casas, comunidade absoluta da terra, das pastagens, dos rebanhos e dos escassos produtos das culturas, cujos donos recebiam exígua quota parte, revertendo o resto para a companhia” (isto é, para a comunidade).

Concluo recordando que, no Brasil atual, outra maneira fácil de manter clara a distinção é a seguinte: quem é de esquerda, luta para manter a soberania nacional e é socialista; quem é de direita, é entreguista e capitalista. Quem, na sua visão do social, coloca a ênfase na justiça, é de esquerda. Quem a coloca na eficácia e no lucro, é de direita.

Ariano Suassuna 
 

sexta-feira, 25 de julho de 2014

NOVA CRUZ-RN - SELO UNICEF 2013/2016 - TUDO PRONTO PARA A REALIZAÇÃO DO I FÓRUM COMUNITÁRIO

 Comissão Intersetorial do Selo Unicef 2013-2016
 Momento de discussão

 Nuca sempre presente
Hoje, 25 a Comissão Intersetorial do Selo Unicef 2013/2016, juntamente com os conselheiros/as do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescentes - CMDCA e do Conselho Tutelar reuni-se no Auditório do Fórum de Justiça para discutirem e aprovarem os nomes de pessoas e instituições que irão compor os Grupos de Trabalho do I Fórum Comunitário Selo Unicef 2013/2016.

Bastante democrático após o Articulador do Selo, Eduardo Vasconcelos iniciar a reunião com os informes, iniciaram a avaliação dos nomes, que de forma bastante democrática foram aos poucos fechando a lista desses convidados, além é da participação em sua maioria de crianças e adolescentes peça fundamental neste processo que a implantação do Plano Municipal de Ação para a Proteção Integral das Crianças e Adolescentes.

O Facilitador que terá a tarefa de guiar os participantes nas etapas do trabalho será escolhida na próxima reunião prevista para o dia 29, ás 14 horas no Centro Administrativo Municipal "Prefeita Joanita Arruda Câmara".

Inicio da semana a comissão irá entregar todos os convites e elaborar um plano de divulgação permanente até o dia do evento para que toda a sociedade tome conhecimento deste fundamental evento.

quinta-feira, 24 de julho de 2014

NOVA CRUZ-RN: SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL PROMOVEU ONTEM, 23 OFICINA DE INTEGRAÇÃO ENTRE FAMÍLIAS DO SCFV - SEMEAR

Secretária da SMAS, Márcia Valéria dando as boas vindas aos participantes e falando da importância do tema que será abordado na oficina que é o Trabalho Infantil
A técnica Juliane Borges do CRAS Centro falando do tema
Participação de várias crianças e mães

Peça teatral- Trabalho Infantil

Crianças e mães atentas/os a peça teatral Trabalho Infantil

Momento da peça - trabalho infantil
Ontem, 23 pela manhã a Secretaria Municipal de Assistência Social - SMAS, promoveu no CCI - Centro dos Idosos, através do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos - SEMEAR Oficina de Integração Entre Famílias do SCFV/SEMEAR.  Cujo tema foi a Conscientização de Combate ao Trabalho Infantil.

Acolher bem as famílias no espaço, sensibilizá-las sobre o tema foi o principal objetivo.

Foi promovido uma encenação teatral pela equipe do SEMEAR sobre a realidade do trabalho infantil; Participação dos técnicos do SEMEAR - Juliane Borges na encenação e reflexão do objetivo da pequena demostração; participação também do técnico do CREAS, Bernardo Sena que fez uma explanação breve sobre os serviços desenvolvidos no CREAS e também debateu sobre o tema do trabalho infantil com as famílias presentes.

Também foi demostrado um vídeo (depoimento de Gedeão Andrade dos Santos) para instigar o pensamento sobre o tema e conversar com as famílias sobre o que elas acham do trabalho infantil; se julgam como algo bom/ruim, certo/errado, em seguida foi iniciado um debate com as mesmas. A equipe também passou um outro vídeo que mostrou os impactos causados pelo trabalho infantil na vida das crianças e adolescentes e na sociedade em geral.  Depois foi feito uma parada para o lanche.

Reiniciado os trabalhos foi confeccionado um Catavento com as famílias - Simbolo do DIA MUNDIAL CONTRA O TRABALHO INFANTIL, criado no Brasil, adotado pela OIT no mundo todo.  O catavento colorido simboliza o respeito à criança e à diversidade de raça e de gênero.  Suas cinco pontas representam todos os continentes.  ao girar, elas inspiram a mobilização, a geração de energia capaz de mudar a situação de milhões de crianças exploradas como mão-de-obra em todo o mundo.  Este símbolo srá utilizado em todas as mobilizações do 12 de junho - DIA MUNDIAL CONTRA O TRABALHO INFANTIL.

As mães elogiaram o evento, que inclusive estavam acompanhadas de seus filhos.

Belo trabalho da SMAS.

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Dilma tem 38% das intenções, Aécio 22% e Campos, 8%, aponta Ibope

Levantamento mostra vitória de Dilma contra os dois adversários no segundo turno.

Agência Brasil, 
selo-eleicao
Pesquisa do Ibope, encomendada pela Rede Globo e pelo jornal O Estado de S. Paulo, mostra a candidata Dilma Rousseff (PT) com 38% das intenções de voto. Em seguida, aparecem o candidato Aécio Neves (PSDB), com 22%; e Eduardo Campos (PSB), com 8%.

O nível de confiança da pesquisa é 95%, com margem de erro de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. O candidato Pastor Everaldo (PSC) aparece com 3%. Eduardo Jorge (PV), Zé Maria (PSTU), Luciana Genro (PSOL) tiveram 1%, cada um. Eymael (PSDC), Levy Fidelix (PRTB), Mauro Iasi (PCB) e Rui Costa Pimenta (PCO) têm juntos 1%. Votos brancos e nulos somam 16% e não responderam ou não sabem, 9%.

O Ibope também fez simulações de segundo turno. Na possível disputa entre Dilma Rousseff e Aécio Neves, a candidata petista aparece com 41% das intenções de voto e o tucano aparece com 33%. Brancos e nulos somam 18%. Não souberam ou não responderam, 8%. Na simulação entre Dilma e Eduardo Campos, a candidata do PT aparece com 41% das intenções de voto e Campos com 29%. Brancos e nulos, 20%. Não souberam ou não responderam, 10%.

O instituto também divulgou avaliação do governo. Os que avaliaram o governo como ótimo ou bom somaram 31% em julho; o mesmo percentual em junho; eram 35%, em maio; e 34%, em abril. Aqueles que avaliaram como regular somaram 36% em julho, 33% em junho, o mesmo percentual em maio e 30% em abril. Aqueles que avaliaram como ruim ou péssimo foram 33% em julho, junho e maio e eram 30% em abril.

Não souberam ou não responderam responderam por 1% em julho e junho e 2% em maio e abril. O instituto ouviu 2.002 pessoas entre sexta-feira (18) e ontem (22). A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o número BR-00235/2014.

Fonte: Nominuto.com

ELEIÇÕES 2014: Patrimônio de deputados estaduais do RS dobra em quatro anos

Por Cleidi Pereira e Eduardo Nunes -Foto: Marcelo Bertani / AL





Dos atuais 55 parlamentares, 46 tentarão a reeleição e sete disputarão outros cargos públicos em outubro.

O patrimônio dos 53 deputados estaduais do RS que concorrerão a algum cargo público nestas eleições dobrou nos últimos quatro anos. Juntos, estes parlamentares declararam à Justiça Eleitoral, em 2010, R$ 26,3 milhões em bens — valor que saltou para R$ 53,6 milhões neste ano, um aumento de 103,5% (veja os números de cada candidato no final desta matéria). A inflação acumulada no mesmo período foi de 26,7%, de acordo com o IPCA, considerado o índice oficial de preços.
Na comparação dos valores declarados em 2010 e em 2014, o deputado Paulo Borges (DEM) foi o que teve a maior variação percentual: 952,2%, passando de R$ 70,6 mil para 742,6 mil. O parlamentar mais afortunado e que teve o incremento mais expressivo em valores absolutos é Paulo Odone (PPS), cujo patrimônio saltou de R$ 1,8 milhão para R$ 8,7 milhões — uma alta de 377,6% no período. 

Leia também:


Procurado pela reportagem, Odone afirmou que o aumento no montante dos bens é resultado, principalmente, do recebimento de uma herança, uma fazenda de mais de mil hectares no município de Itacurubi, no valor de R$ 6,4 milhões. O deputado, que também possui terras em Barra do Ribeiro, disse que os demais rendimentos são fruto da sua atividade rural. Já a assessoria do deputado Paulo Borges informou que o democrata financiou uma casa e um veículo de maior valor neste período.
Patrimônios dariam um salto se fosse usado o valor de mercado
Em valores de mercado, o tamanho real de alguns patrimônios pode ser ainda maior do que o que consta nas declarações. Como o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não dispõe de uma norma específica para a declaração de bens, os candidatos informam o preço da aquisição, sem levar em conta, no caso de imóveis, a valorização de mercado (o mesmo critério adotado pela Receita no Imposto de Renda).
Por exemplo, se um candidato comprou há 15 anos um apartamento por R$ 100 mil, o imóvel constará na declaração em 2014 com valor de R$ 100 mil, embora o bem tenha tido uma valorização considerável no período. Isso faz com que os imóveis adquiridos mais recentemente apareçam nas declarações com valores superiores aos mais antigos. Segundo levantamento do Secovi-RS, só nos últimos cinco anos o preço dos imóveis em Porto Alegre teve um aumento médio de 85,59%.
Os dados sobre os bens dos candidatos, que podem ser consultados através do Sistema de Divulgação de Candidaturas (DivulgaCand) do TSE, também mostram que o plenário da Assembleia possui hoje 17 milionários. Com subsídio mensal de R$ 20.042,34, sem incluir benefícios como a "ajuda de custo" (duas parcelas no valor do subsídio mensal, uma no início outra no final do mandato), um deputado estadual recebe pouco mais de R$ 962 mil em quatro anos.
Para o cientista político Humberto Dantas, além da remuneração fora dos padrões brasileiros, o enriquecimento de muitos parlamentares pode ser explicado pelo fato de não haver restrição para o exercício de atividades paralelas.
— Um deputado é um agente público contratado pelo voto, e isso significa que ele tem que prestar contas à sociedade. Então, o eleitor tem que fiscalizar, tem que duvidar, mas com cuidado.
O combate às fraudes em declarações depende da vigilância do cidadão, pois os dados são preenchidos pelos próprios partidos e não passam por qualquer fiscalização do TSE. Para que haja investigação de casos de bens não declarados ou valores imprecisos, é preciso o registro de denúncia ao Ministério Público. Um outro entrave à transparência é a ausência de padrão no preenchimento dos bens publicados no sistema Divulgacand. No caso dos imóveis, por exemplo, algumas declarações não dizem o tipo de imóvel declarado, apenas o endereço, outras apresentam endereço incompleto. Imprecisões também são encontradas em outros itens das declarações.
COMO FISCALIZAR
1) Acesse o site do TSE: www.tse.jus.br
2) Na barra superior de links, clique em Eleições
3) Clique em Eleições 2014
4) Nas opções que aparecem no centro da página, clique em DivulgaCand 2014
5) Na próxima página, clique novamente em DivulgaCand 2014
6) No mapa que aparece, clique no mapa do Estado que deseja consultar
7) No menu Cargo, escolha o que deseja pesquisar
8) Ao selecionar o cargo, aparecerá uma lista de candidatos. À direita há um campo de busca para facilitar a sua pesquisa.
9) Ao encontrar na lista a candidatura que deseja consultar, clique no nome do candidato para visualizar os dados e a declaração de bens.
Fonte: Zero Hora

ESTADO DE SAÚDE DE ARIANO SUASSUNA SE AGRAVA

Estado de saúde de Ariano Suassuna se agrava Julio Cavalheiro/Agencia RBS
Suassuna sofreu AVC hemorrágico, passou por cirurgia e está em coma na UTI
Foto: Julio Cavalheiro / Agencia RBS

O escritor Ariano Suassuna segue internado na UTI do Real Hospital Português, em Recife (PE), após sofrer um AVC na noite da última segunda-feira. De acordo com boletim médico divulgado às 20h desta terça-feira, Suassuna está em coma e respira com ajuda de aparelhos. Houve um agravamento do quadro clínico e a situação é instável, com queda da pressão arterial e pressão intracraniana muito elevada. 


Suassuna já esteve internado no mesmo hospital no ano passado. Em 21 de agosto, ele sofreu um infarto agudo do miocárdio e foi submetido a um cateterismo. Após ficar seis dias internado, o dramaturgo teve alta, mas voltou à UTI do hospital dois dias depois, no dia 29, vítima de um aneurisma cerebral. Submetido a uma arteriografia cerebral, ele recebeu alta no dia 4 de setembro. 

O escritor

Ariano Vilar Suassuna nasceu em Nossa Senhora das Neves, hoje João Pessoa (PB), em 16 de junho de 1927, filho de Cássia Villar e João Suassuna. Ele é o sexto ocupante da Cadeira nº 32 da Academia Brasileira de Letras, eleito em 3 de agosto de 1989, na sucessão de Genolino Amado e recebido em 9 de agosto de 1990 pelo acadêmico Marcos Vinicios Vilaça. 

Entre suas obras, destacam-se a peça Auto da Compadecida (1955), que o projetou no cenário nacional e já foi adaptada para a televisão e o cinema, e O Romance d'A Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do Vai-e-Volta (1971), que também foi adaptado para TV, na microssérie A Pedra do Reino (2007), da TV Globo.

Suassuna fundou, em 1959, o Teatro Popular do Nordeste, e foi membro fundador do Conselho Federal de Cultura, em 1967. O paraibano também foi Secretário de Cultura do Estado de Pernambuco, no governo de Miguel Arraes (1994-1998), e da Assessoria Especial do Governo de Pernambuco, durante o mandato do atual candidato à Presidência da República, Eduardo Campos, cargo que deixou em abril deste ano.

Fonte: Zero Hora

NOVA CRUZ-RN: II REUNIÃO DA COMISSÃO INTERSETORIAL DO SELO UNICEF GARANTIU A ESTRUTURA DO I FÓRUM COMUNITÁRIO






Hoje, 22 pela manha a Comissão Intersetorial do Selo Unicef 2013/2016 reuniu-se para discutir a estrutura do I Fórum Comunitário, que será realizado dia 06 de agosto no Centro Pastoral do Catolé.  As secretarias de educação, saúde, assistência social e juventude dividiram as responsabilidades estruturais do evento.  Agora é sentar para ver a lista dos convidados e mobilização da sociedade para prestigiarem o evento.  A participação dos adolescentes será de fundamental importância, para isso o recém criado NUCA - Núcleo de Participação de Adolescentes fará um trabalho nas escolas mobilizando e divulgando o evento e garantir uma boa parcela dessa juventude no fórum.

Para Eduardo Vasconcelos, articulador do selo estar otimista nessa mobilização e o I Fórum após o debate irá elaborar um Plano Municipal de Ação para a Proteção Integral das Crianças e Adolescentes democrático, que garanta as ações em prol das crianças e dos adolescentes eficazes, diminuindo assim as desigualdades entre os nossos jovens.  Garantindo também políticas públicas em todas as áreas como saúde, educação, cultura, lazer, esporte e inclusão.  Vai ser histórico, conclui, Eduardo.

Próxima reunião será dia 25 ás 10 horas na Sala de Reuniões da Secretaria Municipal de Educação - SME, onde os membros da comissão irão discutir as formas de convites para participação da sociedade e em especial os jovens.  Convidarão autoridades judiciais, os poderes executivo e legislativo, além de boa parte do adolescentes.

As secretárias Valéria Arruda Câmara - Educação; Márcia Valéria - Assistência Social e Ana Caroline (representando a secretária Rita de Cássia - Sáude), além de conselheiros tutelares, CMDCA, NUCA e membros da Comissão Intersetorial participarão da reunião.

terça-feira, 22 de julho de 2014

NOVA CRUZ-RN: II REUNIÃO DA COMISSÃO INTERSETORIAL DO SELO UNICEF GARANTIU A ESTRUTURA DO I FÓRUM COMUNITÁRIO






Hoje, 22 pela manha a Comissão Intersetorial do Selo Unicef 2013/2016 reuniu-se para discutir a estrutura do I Fórum Comunitário, que será realizado dia 06 de agosto no Centro Pastoral do Catolé.  As secretarias de educação, saúde, assistência social e juventude dividiram as responsabilidades estruturais do evento.  Agora é sentar para ver a lista dos convidados e mobilização da sociedade para prestigiarem o evento.  A participação dos adolescentes será de fundamental importância, para isso o recém criado NUCA - Núcleo de Participação de Adolescentes fará um trabalho nas escolas mobilizando e divulgando o evento e garantir uma boa parcela dessa juventude no fórum.

Para Eduardo Vasconcelos, articulador do selo estar otimista nessa mobilização e o I Fórum após o debate irá elaborar um Plano Municipal de Ação para a Proteção Integral das Crianças e Adolescentes democrático, que garanta as ações em prol das crianças e dos adolescentes eficazes, diminuindo assim as desigualdades entre os nossos jovens.  Garantindo também políticas públicas em todas as áreas como saúde, educação, cultura, lazer, esporte e inclusão.  Vai ser histórico, conclui, Eduardo.

Próxima reunião será dia 25 ás 10 horas na Sala de Reuniões da Secretaria Municipal de Educação - SME, onde os membros da comissão irão discutir as formas de convites para participação da sociedade e em especial os jovens.  Convidarão autoridades judiciais, os poderes executivo e legislativo, além de boa parte do adolescentes.

As secretárias Valéria Arruda Câmara - Educação; Márcia Valéria - Assistência Social e Ana Caroline (representando a secretária Rita de Cássia - Sáude), além de conselheiros tutelares, CMDCA, NUCA e membros da Comissão Intersetorial participarão da reunião.